Quinta Feira, 27 de abril de 2017

Home / COLUNAS  / Consulados & Turismo  / Feira de Portugal

Feira de Portugal

Carlos Lopes, Jeferson Dias, Joana Caliço e Maria de Lourdes Ramalho

Mais de quinze mil pessoas lotaram os quarteirões no entorno da Praça Marília de Dirceu, no Bairro de Lourdes, na sexta edição da Festa Portuguesa em Belo Horizonte. Como não poderia deixar de ser, a atração principal foi a culinária portuguesa servida sem parcimônia por alguns dos melhores restaurantes de comida lusitana da cidade.

Abriu o evento a cônsul de Portugal Joana Pinto Cali- ço, confraternizando com os 15 milhões de portugueses espalhados pelo mundo que comemoram, no mês de junho, o Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas. Sentindo o cheirinho de Portugal no ar por causa das sardinhas assando na brasa, a cônsul agradeceu a oportunidade de compartilhar a data festiva com os milhares de descendentes de portugueses que habitam as terras mineiras, convidando os presentes a matar as saudades de Portugal, ou então desejar conhecer sua terra natal, degustando as iguarias portuguesas. Representando a presidência da Câmara Portuguesa de Comércio, o diretor Carlos Alberto Lopes recitou trechos de Camões em homenagem ao grande poeta português, cujo busto enobrece a Praça Marília de Dirceu desde 1960. Também presentes: Rodrigo Perpétuo, representando o Governo de Minas; o casal Jeferson e Elisa Rios, presidente da Associação de Moradores do Bairro de Lourdes; Maria de Lourdes Ramalho, presidente do Elos Clube de Belo Horizonte, Carlos Tavares Dias, diretor da TAP Portugal e Vitório Lanari, coordenando a produção.

Na sequência da programação, a banda de música da Polícia Militar tocou os hinos de Portugal e do Brasil. No correr da ensolarada tarde de sábado, houve apresentação do Coral Luiz de Camões, do Ato Poético a cargo da Faculdade de Letras da UFMG e do grupo de danças folclóricas Gil Vicente. O ponto alto foi a transmissão do jogo Portugal x Áustria da Eurocopa 2016. A partir do entardecer, o animado público cantou e dançou acompanhando o grupo de chorinho Isto é Nosso, seguido da apresentação do Coladera, ritmo caboverdiano que é uma mistura do fado português com o lundum angolano.

Animados pelo concurso do Melhor Prato Alentejano e pela presença maciça de apreciadores da culinária portuguesa, os restaurantes Taberna Baltazar, Restaurante do Porto, Armazém Medeiros, Caravela, Doces de Portugal, Nômade Bar e a dupla Thiago Lima e Renato Lobato por Pif Paf disputaram quem servia os melhores pratos típicos além dos tradicionais bolinhos de bacalhau e pastéis de natas – sem dúvida os quitutes preferidos dos mineiros. Uma rica variedade de vinhos das melhores vinícolas portuguesas foi oferecida para apreciação dos belo-horizontinos.

Ao final da noite, dois restaurantes receberam prêmios. Tereza Baltazar, em nome da Taberna do Baltazar levou o prêmio pelo Melhor Prato Alentejano e Cristóvão Laruça, pelo Restaurante Caravela, ganhou o prêmio Inovação.

silvania@mgturismo.com.br

Bacharelanda em Jornalismo pela FUMEC, arquiteta, ex-presidente da ABIH-MG.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

POST A COMMENT

×