Sábado, 24 de agosto de 2019

Home / DESTAQUES AGÊNCIA DE NOTÍCIAS  / Como escolher o país ideal para enviar o seu filho para um intercâmbio

Como escolher o país ideal para enviar o seu filho para um intercâmbio

Ter a oportunidade de vivenciar outras culturas é uma das experiências mais gratificantes que

podemos ter. Por meio dos períodos de intercâmbio, além de aprimorar o currículo, temos

ainda a oportunidade de sentir na prática como é o dia a dia de pessoas que moram em outras

localidades e tem costumes diferentes dos nossos. Trata-se de uma bagagem cultural de valor

inestimável, uma experiência pela qual vale a pena passar uma vez na vida.

Se você tiver a oportunidade de proporcionar essa experiência para os seus filhos, não há

dúvidas que você deve ir em frente. Mas como escolher o país ideal para que seus filhos

possam estudar e aprender mais sobre uma cultura distinta? As opções são muitas e tudo vai

depender do gosto deles e das expectativas que vocês têm em relação ao que vão aprender.

Para que você não fique perdido na hora de escolher os melhores caminhos para os seus filhos

ganharem experiência internacional, listamos aqui algumas dicas para levar em consideração.

Qual é o país ideal?

1 – Escolha um idioma

A maioria dos jovens que vai para o exterior fazer intercâmbio sai do Brasil com o objetivo de

aprender melhor uma segunda língua. A escolha do país para onde o seu filho vai deve levar

em consideração o idioma que ele pretende aprender, afinal a imersão em uma língua diferente

é parte do processo de aprendizado.

Assim, se a ideia é aprender espanhol, por exemplo, será melhor passar um tempo na

Espanha do que nos Estados Unidos. Já para quem quer aprender inglês há mais alternativas

como os Estados Unidos, o Canadá, o Reino Unido, a Nova Zelândia ou a Austrália. Para o

idioma francês, França, Canadá e Suíça podem ser as melhores escolhas.

2 – Liste vantagens e desvantagens

É natural que a gente se identifique mais com algumas cidades do que outras. Assim, depois

de definido o idioma, o legal é listar no papel quais são as vantagens e desvantagens de cada

uma das alternativas. Há pessoas que não se dão muito bem com lugares frios, por exemplo, e

por isso pode ser uma boa ideia escolher uma cidade mais quente ou uma época do ano com

temperatura mais amena.

Mesmo dentro de um pais podem existir regiões completamente distintas entre si. É o caso dos

Estados Unidos, por exemplo, onde morar na Costa Oeste (Los Angeles, San Francisco, San

Diego) é completamente diferente de viver na Costa Leste (Miami, Nova York, Boston).

Pesquise bastante e escolha a cidade que mais se enquadra no perfil do seu filho.

3 – Saiba quais são os seus limites

Em praticamente qualquer país, morar nas principais cidades é um pouco mais caro do que

viver em cidades menores ou do interior. Assim, se a grana estiver apertada, não é preciso

cancelar a viagem. Talvez a melhor alternativa seja procurar cidades menos badaladas e com

um custo de vida mais baixo.

Na Espanha, por exemplo, Madrid e Barcelona são os principais destinos e, por isso mesmo,

os mais caros. Entretanto, há excelentes cidades menores, como Sevilla, Vigo ou Salamanca

cujo custo de vida é bem menor e que ficam muitas vezes a um trem de distância das grandes

capitais. No final das contas você vai economizar mais e seu filho terá a oportunidade de

conhecer as grandes cidades da mesma forma.

4 – Que tal trabalhar?

Antes de viajar para outro país é importante que você tenha um conhecimento mínimo das

regras locais com relação ao trabalho. Alguns intercambistas têm vontade de trabalhar no

exterior por um período, mas não são todos os países que permitem esse tipo de permanência.

Na França e nos Estados Unidos, por exemplo, é proibido.

Porém, na Austrália e na Nova Zelândia essa opção é uma possibilidade. Portanto, antes de

escolher o seu destino, se informe nas agências de intercâmbio sobre qual é a melhor maneira

de proceder. O ideal é já sair do Brasil com tudo acertado e não chegar no novo país e ter que

ficar procurando alguma chance de trabalho.

5 – Faça seu planejamento financeiro

Independente do país que você escolha para o intercâmbio do seu filho, a experiência de

passar alguns dias no exterior tem um custo e você pode se planejar para poupar essa grana

ao longo do tempo. Empresas como a Confidence Câmbio oferecem ótimas alternativas, como

os cartões internacionais pré-pagos, que permitem que você faça uma espécie de poupança de

moeda estrangeira.

Além disso, a empresa também trabalha com soluções em câmbio para envio de dinheiro ao

exterior, facilitando assim o pagamento das despesas com instituições de ensino, hospedagens

e até mesmo para o processo de visto para outro país, quando for necessário. A

recomendação é que você fique de olho nas finanças desde o começo e tenha sempre à

disposição uma alternativa segura para enviar dinheiro para o seu filho durante sua estadia no

exterior.

Intercâmbio: sempre vale a pena

Pesquisar é a palavra-chave para você antes de embarcar em um intercâmbio. Procure saber o

máximo de informações sobre o país para onde seu filho está indo de forma que ele possa

aproveitar ainda mais a viagem. Essa é uma jornada que com certeza será inesquecível e

ficará marcada para sempre na vida dele, então nada melhor do que fazer um bom

planejamento para que tudo corra bem.

Fonte: Confidence Cambio

Site: https://www.confidencecambio.com.br/

Crédito: Banco de Imagem Pixabay

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×