Quarta Feira, 11 de dezembro de 2019

Home / NOTÍCIAS  / Preto recebe a VII Semana Guignard

Preto recebe a VII Semana Guignard

Totalmente revitalizado, Museu Casa Guignard realiza extensa programação dedicada a um dos maiores mestres da arte brasileira

Um dos maiores mestres da arte brasileira do século XX, o pintor Alberto da Veiga Guignard é homenageado durante a tradicional Semana Guignard, que neste ano chega a sua sétima edição. Promovido pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, por meio da Superintendência de Museus e Artes Visuais, o evento é realizado no Museu Casa Guignard, em Ouro Preto, entre os dias 23 e 29 de junho de 2017, tendo a PETROBRAS como patrocinadora. Toda a programação é gratuita.

O extenso rol de atrações conta com exposições, apresentações artísticas, palestras, lançamento de livro e vídeo e oficinas culturais, que visam promover uma verdadeira imersão ao universo do artista. Um dos destaques é a nova exposição de longa duração, concebida para dar maior visibilidade à coleção da instituição. O acervo de retratos, objetos, paisagens, Cartões para Amalita e fotografias de Guignard em seus últimos meses de vida foi distribuído nos diversos espaços. De modo a possibilitar a compreensão do acervo, estão expostos, também, a cronologia completa referente a trajetória do artista e textos alusivos a cada um dos ambientes. O novo módulo Guignard Ilustradorexibe os livros e outras publicações com desenhos do mestre, recém-adquiridos para exibição e pesquisa. Também integram a presente mostra três obras a ela incorporadas: os belíssimos retratos de Regina e Roberto Lacerda, de 1961, gentilmente cedidos em comodato pelas filhas do casal, e a Paisagem de Ouro Preto, aquarela de 1947 adquirida em campanha promovida pela Associação de Amigos do Museu Casa Guignard. No porão foi instalada área para as exposições temporárias e o jardim recebeu reproduções dos belos vasos de flores pintados pelo artista.

Igualmente destacada é a mostra temporária Álbum de Guignard, que contem reprodução da série de ilustrações veiculada no Suplemento Artes e Letras do Jornal A Manhã, do Rio de Janeiro. A mostra será inaugurada na sexta-feira (23) e ficará em exposição até setembro de 2017.

O secretário de Estado de Cultura, Angelo Osvaldo, reforça o papel social do Museu. “Ao realizar o sonho do pintor Guignard, que era ter uma casa em Ouro Preto, o Museu tornou-se um dos mais importantes do gênero. Não só guarda a memória do grande artista, como desenvolve estudos e pesquisas sobre o mestre e as gerações por ele influenciadas. A Semana Guignard põe em destaque toda essa rica produção artística e enfatiza o papel do Museu na cultura mineira”.

A Superintendente de Museus e Artes Visuais, Andrea de Magalhães Matos, comemora o diferencial desta edição do evento. “Recebemos investimentos na infraestrutura e na concepção museográfica e museológica da instituição. Estamos orgulhosos em disponibilizar conteúdo tão importante para fruição dos visitantes”.

A programação tem início no dia 23 de junho (sexta-feira) com abertura da Exposição de Longa Duração, que consiste no novo módulo Guignard Ilustrador, além da mostra temporária Álbum de Guignard. Ainda na sexta-feira, acontecem os lançamentos do catálogo da Exposição de Longa Duração e do livro de Dedicatórias para Guignard, edição Fac-similar do Livro de Ouro mantido por Guignard entre 1937 e 1959, composto por cartas, dedicatórias, poemas, desenhos e outras homenagens prestadas por seus amigos, alunos e admiradores, acompanhada de encarte com a transcrição de todo o seu conteúdo.

Entre os destaques de sábado (24), contam a palestra sobre a trajetória artística de Guignard, ministrada por Frederico Morais. À noite acontece um cortejo com a participação de banda popular do Rosário em direção à Rua Direita. Em seguida tem início a tradicional Noite de São João, tema constante nas obras de Guignard, com apresentação de quadrilhas e show da Banda Candonguero.

As atividades continuam no domingo (25) com a realização de roda de conversa e lançamento do vídeo “Passos de Guignard – Do Mundo para Ouro Preto”, com roteiro, direção e produção de Tomás Amaral. Na parte da tarde, a oficinaCartões Amor e Amizade tem ênfase nos Cartões de Guignard para Amalita, um dos principais itens do acervo da instituição.

Na segunda (26) a pesquisadora Ana Clara Borges apresenta sua pesquisa Guignard na Fundação Osório (Rio de Janeiro), instituição militar de atendimento a crianças órfãs em que o artista atuou como professor na década de 1930.

Fechando a VII Semana Guignard, será realizado o “II Módulo da Oficina Cores e Terras de Ouro Preto”, ministrada pela equipe do Museu de Ciências da Terra da Universidade Federal de Viçosa-MG, direcionada a professores da Rede de Ensino de Ouro Preto. A atividade será realizada de 27 a 29 de junho.

Alem do patrocínio da PETROBRAS, pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a VII Semana Guignard tem o apoio da Prefeitura Municipal de Ouro Preto, Grande Hotel de Ouro Preto, da 25ª Superintendência Regional de Ensino de Minas Gerais e de empresários locais.

Alberto da Veiga Guignard

Nasceu em Nova Friburgo (Rio de Janeiro) em 1892 e aos 11 anos, mudou-se para a Europa com a família. Lá permaneceu por mais de vinte anos, estudando desenho e pintura em importantes academias na Itália e Alemanha. De volta ao Brasil, em 1929, fixou-se no Rio de Janeiro, instalando seu ateliê no jardim Botânico. No ano seguinte, iniciou a carreira de professor de arte, passando a ensinar desenho e pintura para crianças na Fundação Osório. Em 1940, transferiu-se para a cidade de Itatiaia, também no Rio de Janeiro, onde passou curtas temporadas. Associado a um grupo de jovens amigos artistas, em 1942 organizou um ateliê coletivo, que se chamou a Nova Flor de Abacate. Dois anos depois, a convite de Juscelino Kubitschek, então prefeito de Belo Horizonte, mudou-se para a capital mineira.

À frente da escola de pintura que hoje traz o seu nome, Guignard teve papel decisivo na formação da geração de artistas modernistas mineiros. Viajava a Sabará, Lagoa Santa e, com mais frequência, a Ouro Preto, cidade que lhe inspirou e onde residiu nos últimos anos de sua vida. Morreu em Belo Horizonte, em 1962, e está sepultado, conforme seu desejo, na Igreja São Francisco de Assis, em Ouro Preto. É considerado um dos maiores pintores brasileiros do século XX.

Museu Casa Guignard – MCG: Vinculado à Superintendência de Museus e Artes Visuais, da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais. Inaugurado em 1986, reúne acervo de desenhos, pinturas, ilustrações, objetos de trabalho e de uso pessoal do artista, fotografias e documentos textuais, que foram adquiridos por meio de doação e compra. Destacam-se a coleção de cartões produzidos pelo artista para Amalita Fontenelle, além de retratos, violão e cama, estes dois últimos com superfícies revestidas por pintura decorativa. Centro de pesquisa e memória da vida e obra de Guignard, o museu oferece uma diversificada programação de ações culturais e educativas baseadas na trajetória do artista como mestre e professor, oficinas, visitas orientadas e ciclo de palestras.

Fonte: SEC – Asscom

Crédito: Divulgação

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×