Domingo, 17 de novembro de 2019

Home / EDITORIAS  / Nacional  / Os bastidores da música

Os bastidores da música

Em entrevista, o produtor musical e engenheiro de som, Cris Simões, conta sua história, fala sobre o universo da música e sobre como é a vida nos estúdios de gravação.

Para uma boa música, bons profissionais precisam estar envolvidos em sua realização e isso não depende apenas do artista que canta ou toca. A sincronia perfeita e o arranjo ideal dependem da criatividade do Produtor Musical e da técnica de um bom Engenheiro de Som. Cris Simões, que exerce as duas profissões há 15 anos, afirma que ambas são essenciais para o produto, mesmo que apresentem diferenças.

Segundo Cris, o Produtor Musical é o responsável por organizar os arranjos e fazer a dinâmica da banda para gravação. Já o Engenheiro de Som é o que executa. Ele cuida da parte técnica da gravação e faz a mixagem, que é o que deixa a música agradável e em perfeita sintonia para que o ouvinte se envolva nela. “Basicamente, o Produtor Musical faz a parte de direção musical enquanto o Engenheiro de Som cuida da parte técnica”, conta Simões.

Cris, que já trabalhou com grandes nomes como Jota Quest, André Valadão, Paula Fernandes e Skank, conta que sua vida na música começou quando tinha apenas nove anos e decidiu estudar e tocar piano. Entretanto, a decisão de seguir carreira como Produtor Musical e Engenheiro de som começou quando ele tinha 28 anos. Simões conta que já tinha uma banda (Johnnie Bravo), o que contribuiu para que ele começasse seus estudos em Los Angeles. “Eu escolhi estudar fora porque como eu já não era tão jovem, eu pude perceber a necessidade de aprender o trabalho de forma rápida e com os melhores do mundo, tendo como base a música americana que eu gosto e me espelho. Hoje sei que foi a melhor decisão que eu tomei em toda minha vida profissional”, explica.

Nos EUA, teve a oportunidade de estudar e trabalhar com engenheiros/produtores como “Orlando” ” Rashid” (Beyonce, Jammie Fox) e TJ Helmerich (Jeff Beck,
Dwezil Zappa) que ajudaram em sua formação técnica e artística. Em sua volta ao Brasil abriu seu próprio estúdio – “Pacific Studio”, em Belo Horizonte, onde começou a se destacar produzindo, gravando e mixando grandes nomes da indústria.

Estar no meio musical pode proporcionar experiências inesquecíveis. Segundo Cris, uma das melhores é, sem dúvidas, a valorização do trabalho. “Não tem nada melhor que ter um trabalho que é reconhecido e ouvido por muitas pessoas. Nada me deixa mais orgulhoso!”, fala. Além disso, o produtor ressalta: “Os últimos trabalhos são sempre os que eu mais escuto e os que mais gosto. Fico com sensação de dever cumprido. Sou muito realizado com meu trabalho!”.

 

Fonte: Agência Nexus

Crédito: Divulgação/ Agência Nexus

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×