Sexta Feira, 06 de dezembro de 2019

Home / NOTÍCIAS  / bingos é tema de livro

bingos é tema de livro

Obra de Luiz Carlos Prestes Filho será lançada na ALMG e discutida em audiência pública.

A defesa da regulamentação dos cassinos, bingos e do jogo do bicho é o tema do livro “A Teoria das Probabilidades no Jogo, Ciências e Políticas Públicas”, que será lançado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na terça-feira (29/5/18), a partir das 18 horas, no Plenarinho IV.

O autor é Luiz Carlos Prestes Filho, que participará também, no mesmo dia, de uma audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Econômico, para discutir o tema. Essa reunião acontece a partir das 16h30, também no Plenarinho IV, logo antes do lançamento do livro.

Como o nome indica, o autor é filho do principal líder comunista da história brasileira. A história de seu pai, segundo ele, ajuda a contar como interesses políticos ajudaram a proibir o jogo no Brasil. A exploração dos jogos de azar pela iniciativa privada tornou-se ilegal em 1946, no governo de Eurico Gaspar Dutra, por meio do Decreto-Lei 9.215.

Apesar da norma, em sua justificativa, afirmar que “a tradição moral jurídica e religiosa do povo brasileiro é contrária à prática e à exploração dos jogos de azar”, Prestes Filho indica que o interesse de Dutra em enfraquecer o PTB de Getúlio Vargas e os comunistas do PCB também pesou na decisão. Isso porque o irmão de Getúlio, Benjamin, era sócio dos principais cassinos do Brasil. Já o PCB era apoiado pelos bicheiros do Rio de Janeiro e São Paulo.

“O PCB ajudou na fundação da União Nacional das Escolas de Samba. Em 1946, 24 escolas de samba homenagearam meu pai com sambas-enredo”, recorda Prestes Filho. Com a proibição dos jogos, portanto, Dutra eliminava uma possível fonte de financiamento para dois de seus rivais políticos.

Agora, na avaliação do autor, é hora de rever uma decisão que considera autoritária e regulamentar a atividade, que tem potencial para gerar empregos, renda e estimular o turismo. Sua obra reúne textos de diversos autores que procuram abordar vários aspectos da questão.

Segurança nacional – Um dos capítulos inclui uma entrevista com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, em que ele classifica como um “despautério” a ideia de que os jogos seriam uma ameaça a segurança nacional, como citado no Decreto-Lei 204, de 1967. Por meio dessa norma, a ditadura militar regulamentou a loteria federal, mas reafirmou a ilegalidade de jogos explorados pelo setor privado.

Alguns dos outros textos são: “Jogos: Ciência, Tecnologia e Inovação” (de Jorge Ávila), “A Proibição dos Jogos de Azar e o Desafio de Regulação e Tributação Adequadas” (Luiz Felipe Maia), “Bingos no Brasil: fardo ou legado?” (de Maria Luiza Kurban Jobim e Toni Willians), “Lavagem de Dinheiro e Jogos de Azar – Risk-Based Approach” (de Frederico Lannes e Marcelo Munhoz da Rocha) e “A Regulamentação dos Jogos de Sorte e de Azar – Impactos jurídicos” (de Ana Paula Gatti Vital).

Leia o texto na íntegra.

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×