Quinta Feira, 20 de setembro de 2018

Home / EDITORIAS  / Internacional  / Turismo na Europa

Turismo na Europa

Novos Requisitos para Brasileiros a partir de 2021

Sistema foi autorizado na última quinta-feira (05) pela União Europeia e engloba cerca de 60 nacionalidades que têm acesso ao velho continente sem a necessidade do visto.

O turismo na Europa vai necessitar uma autorização prévia à viagem a partir de 2021, de acordo com a aprovação ocorrida na última quinta-feira (05) pelo Parlamento Europeu.

O Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (ETIAS, na sigla original) contou com 494 votos a favor, 115 contra e 30 abstenções e confirmou a necessidade da autorização para países que não necessitam de visto para as viagens, incluindo o Brasil.

A decisão ainda terá que passar pelo Conselho de Ministros para ser adotada formalmente e, em seguida, será divulgada no Diário Oficial.

Os países que adotarão a nova lei são os mesmos que encorpam o Tratado de Schengen, isto é, 22 países pertencentes ao bloco europeu mais 4 da União Europeia: Croácia, Bulgária, Chipre e Romênia.

A autorização terá que ser preenchida previamente e exigirá informações como dados pessoais, país de destino e dados do documento da viagem. Todo o processo será eletrônico.

Essa autorização terá a validade de 3 anos e vai custar 7 euros (R$32). Para os turistas abaixo dos 18 anos e acima dos 70 anos, poderão adquirir o documento sem que seja necessário algum tipo de taxa.

Ainda assim, as já necessárias precauções continuam. Como por exemplo, a segurança na fronteira que cada país exige.

Cerca de 60 países (incluindo o Brasil) têm esse tipo de acesso à Europa e também passarão a fazer parte da lei oriunda da decisão do ETIAS. Canadá, Austrália e Estados Unidos são apenas alguns nomes entre eles.

Motivação da Lei do Turismo na Europa

A Europa tem como objetivo acompanhar de maneira mais próxima, o turismo em suas terras. A ideia é evitar situações de risco para a população e seus países.

A intenção é a de que essa autorização permita que as autoridades façam comparações entre tais informações cedidas pelos visitantes com as existentes em suas próprias bases de dados.

Essa foi a maneira encontrada para conter a entrada de pessoas potencialmente perigosas, que poderiam vir a causar maiores danos.

França, Inglaterra e Barcelona são exemplos de países que sofreram com tais ataques somente nesse ano. Em 2017, pesquisas apontaram que os ataques terroristas dobraram no continente europeu.

Como agir diante de uma recusa?

Antes de mais nada, vale lembrar que o cidadão que for impedido de entrar na Europa, poderá recorrer na decisão.

A ideia é a de que as autorizações sejam processadas de maneira automática e, consequentemente, rápida.

No caso de suspeitas, o processo passará a acontecer de maneira manual e poderá levar até 4 semanas para ser autorizado.

O melhor a fazer é programar toda a viagem com um Assistente de Viagem para evitar possíveis estresses em um momento que deve ser apenas de lazer.

E manter um glossário de turismo em seu turismo na Europa também pode ser uma excelente maneira de se manter no controle de todo o seu passeio que certamente vai oferecer lembranças para toda uma vida.

Boa viagem!

 

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×