Sexta Feira, 28 de fevereiro de 2020

Home / Notícias gerais  / Processo de migração deve contar com auxílio de profissionais experientes

Processo de migração deve contar com auxílio de profissionais experientes

“Cliente não pode ficar exposto a qualquer tipo de risco”, afirma advogado

 

Quem acompanha o mercado internacional, principalmente relacionado a morar, trabalhar e investir nos Estados Unidos, ficou ciente sobre uma possível alteração no visto de investidor EB-5, que terá as suas regras, condições e valores estendidos até o dia 7 de dezembro.

Além de ficar atento a moeda norte-americana e demais exigências do Governo, antes de pensar em fazer as malas, quem deseja se mudar de vez necessita contar com a ajuda de um advogado ou especialista que irá estruturar todo o processo migratório. Para que todas as etapas sejam bem-sucedidas, o solicitante do visto deve ter empatia com esse profissional, confiança, conversar muito e sentir que ele transmite segurança durante as consultas. “Descarte aquele que gagueja quando passa alguma informação, ou pior, que traga mais dúvidas do que esclarecimentos”, orienta o CEO da Loyalty Miami, Daniel Toledo.

O crescimento da busca de brasileiros para morar legalmente nos Estados Unidos tem contribuído para o aumento de consultorias novas, que não tem tradição, e que, muitas vezes, são chefiadas por quem se aventura no mercado. “Há pessoas se lançando neste segmento, mas que não possuem experiência, nem na área jurídica e muita menos empresarial, e oferecem consultoria, colocando em risco um sonho de uma vida inteira”, revela Toledo.

O CEO da Loyalty explica que esta situação ocorre porque se trata de um mercado que atrai a atenção, principalmente de quem está ansioso para deixar o Brasil, e em boa parte dos casos, dispõe de uma situação econômica variável. “Temos a ansiedade e dinheiro lado a lado, o que é um verdadeiro chamariz. São duas vertentes, a do negócio e a do visto, então isso acaba atraindo muitos oportunistas inexperientes sem qualquer tipo de bagagem profissional. É como sempre digo, advogado não perde causa, quem perde é o cliente. Ele recebe os honorários e quem o contratou, muitas vezes, fica com o prejuízo”, destaca Daniel.

Outro critério que pode ser usado para escolher o profissional é verificar o currículo, principalmente quando se trata de implantação de negócios ligado a permanência em outro país. “É preciso muitos anos de experiência e especialização. O diploma na parede tem um peso grande, assim como os anos de experiência naquela área específica. O que eu sabia em apenas cinco anos de atuação nesta área, não é 10% do que eu sei hoje com vinte anos de muito trabalho. Leio todo dia, não parei de estudar e estou fazendo meu terceiro mestrado. A minha área sempre tem novidades, principalmente na parte de negócios e jurídica. Se o profissional não se atualizar, boa parte de sua bagagem acaba perdendo o sentido”, aponta o CEO.

Quando se fala de imigração para os Estados Unidos, as regras são as mesmas para qualquer Estado. Daniel explica que um advogado com licença do Texas, por exemplo, pode atender um cliente que esteja na Flórida: “Este profissional não precisar ter necessariamente a licença do Estado onde mora, por se tratar de legislação Federal. Então, a forma mais correta de confirmar a autenticidade do profissional é durante a entrevista, ao solicitar que ele mostre registros como certificados e demais licenças”, destaca.

Além dos cuidados para escolher quem irá ajudar, é preciso verificar se a empresa tem as devidas licenças obrigatórias. “A Loyalty tem uma licença específica junto ao Florida BAR, assim como os escritórios no Brasil tem um alvará expedido pela OAB, aqui funciona da mesma forma. Os órgãos de classe recomendam que o profissional tenha um seguro de responsabilidade civil de US$100 mil por causa, sendo que a maioria não tem. Mas nós optamos por seguir essa orientação, ampliando inclusive para 200 mil dólares”, finaliza.

Malas prontas

Ana Carolina Adena e Marcel Salomão se conhecerem na faculdade de odontologia e sempre sonhavam em viver nos Estados Unidos. Casaram-se, tiveram dois filhos, e como já visitaram o país inúmeras vezes, elegeram o lugar como destino favorito para passar férias em família. Mas preocupados com a instabilidade econômica do Brasil e com a política, cada vez que compravam as passagens a vontade de deixar tudo para trás e começar uma nova história só crescia.

E foi o que fizeram. Logo após a decisão, que aconteceu ano passado, começaram a pesquisar na internet sobre o assunto e encontraram informações sobre o evento Jornada Empreendedora que aconteceu no mês de março, em Orlando. “Assistimos a diversas palestras e uma delas foi do advogado Daniel Toledo. Conversamos pessoalmente com ele para saber um pouco mais sobre como seria feito o suporte ao processo de migração”, comenta Carolina.

A empresária possui cidadania italiana e por isso foi orientada por Toledo a solicitar o E2, modalidade criada para que cidadãos de países que tenham tratado de navegação e comércio com os Estados Unidos possam trabalhar e viver nos EUA com suas famílias. “Conseguimos o visto e também cumprir todas as sus exigências. A partir de outubro o nosso endereço definitivo passa a ser em Miami”, finaliza.

Roberto é administrador de empresas e também trabalha como consultor de segurança e instrutor de tiros no Brasil há mais de 20 anos. Como um verdadeiro apaixonado pelo que faz, sempre pensava em empreender neste segmento nos Estados Unidos. Em uma de suas viagens, encontrou na região de Fort Myers, na Flórida, um estabelecimento já funcionando e, quando ficou ciente de que estava à venda, decidiu iniciar o processo de compra.

Ele e sua esposa estudaram todas as obrigações e características do negócio e sabiam que seria possível a sua aquisição, porém, não imaginavam que seria tão difícil encontrar uma consultoria que desse suporte de que ele necessitava para elaborar o processo de solicitação do visto e principalmente que estruturasse um plano de negócio realmente eficaz. “Fomos a diversos escritórios em busca de ajuda. Somente quando conversamos com Daniel é que conseguimos ver o nosso projeto decolar. Desde o primeiro contato até a implantação do negócio foram apenas quatro meses”, conclui o empreendedor.

*Daniel Toledo é advogado especializado em direito internacional, consultor de negócios e sócio fundador da Loyalty Miami. Para mais informações, acesse: http://www.loyalty.miami ou entre em contato por e-mail contato@loyalty.miami. Toledo também possui um canal no YouTube com mais de 55 mil seguidores http://www.youtube.com/loyaltymiamiusa e uma fan page no facebook com mais de 240.000 seguidores, com dicas para quem deseja morar, trabalhar ou empreender nos Estados Unidos, Portugal e na Espanha.

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×