Quinta Feira, 21 de março de 2019

Home / COLUNAS  / Consulados & Turismo  / MARRAKECH – Charme da Cidade Vermelha

MARRAKECH – Charme da Cidade Vermelha

Marrocos tem cinco aeroportos internacionais com voos diretos diários para os principais aeroportos europeus. O país, com território equivalente a 76% do estado de Minas Gerais e 38 milhões de habitantes, recebeu, no último ano, mais de 12 milhões de turistas, sendo que apenas em Marrakech, desembarcaram 2,6 milhões de turistas e foram registradas cerca de 8 milhões de diárias em hotéis, considerando-se a crescente demanda do turismo interno.

Marrakech tem como cenário de fundo as altas montanhas Atlas com picos de neve eterna. A cor obrigatória das construções, do ocre ao rosado, harmoniza o conjunto arquitetônico nos estilos moçárabe, colonial francês e contemporâneo. A vegetação é exuberante e combina com o verde dos gradis, portas e janelas. A bela cidade milenar é hoje um dos destinos mais procurados pelo beautiful people europeu e tem sido palco de grandes eventos internacionais.

Os turistas descolados preferem hospedar-se nos pequenos e charmosos hotéis-spas no interior da Medina. Desde cedo até altas horas da noite, o movimento é intenso na imensa praça Jemaa el Fna, o centro vital da Medina. Encantadores de serpente, malabaristas, engolidores de fogo e os típicos aguadeiros divertem os turistas. As barracas oferecem apetitosos frutos da terra, como azeitonas, tâmaras e tangerinas, e comidas típicas: cuscuz e tagines. Nos souks, mercados que vendem o colorido artesanato marroquino, é preciso ter tempo e muita paciência para negociar artigos em couro, tecido, metal e cerâmica a bom preço. O roteiro básico, para quem quer visitar a Medina em um único dia, é entrar pelo portão Bab Nkeb, seguir até o minarete da Cutovia e chegar à Jemaa el Fna ainda cedo. De lá, retorna-se pela Av. Mohammed V para visitar o Ensemble Artisanal, onde se compra artesanato a preço fixo bem convidativo. Atrás do centro de cooperativas fica o portão Bab Laksour dando passagem à rua Sid el Yamani que leva ao Souk Mouassine, local do comércio mais fino. Deste ponto até o Le Jardin Secret ficam os hotéis de charme e os melhores restaurantes. Faça reserva antecipada para o almoço ou um fim de tarde estendido até a noite no Café Árabe, no Palais Dar Si Aissa ou no Riad Lyla (os dois últimos também oferecem suítes & spa). Nos cardápios há opção para culinária marroquina ou mediterrânea.

Turistas de negócios e grupos de excursão, na maioria chineses e japoneses, ficam em Hivernage, um moderno e luxuoso complexo de hotéis a 2 km. das muralhas da Medina. À oeste fica Gueliz, uma nouvelle ville de origem francesa que é a parte chique da cidade e à 6 km., ao norte, está Palmeral, um dos mais exclusivos condomínios de luxo do mundo.

silvania@mgturismo.com.br

Bacharelanda em Jornalismo pela FUMEC, arquiteta, ex-presidente da ABIH-MG.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×