Domingo, 20 de outubro de 2019

Home / DESTAQUES  / Zimbe facilita aos turistas encontrar prestadores de serviços diferenciados

Zimbe facilita aos turistas encontrar prestadores de serviços diferenciados

Mãe e pai com filho pequeno querem fazer um passeio do qual a criança não pode participar: como achar uma babá? Está na capital de um país no exterior, não conhece o idioma local, precisa de um intérprete por algumas horas. A solução é usar o Zimbe.

João Zuccaratto*

Zimbe: fruto da onipresença da Internet na vida moderna

O advento e posterior onipresença da Internet na vida moderna tem mudado muito os hábitos das pessoas. Se, antes, dependia-se excessivamente de terceiros para se fazer determinadas coisas, hoje isso é diferente, graças às ferramentas de pesquisas na Web.

Uma das atividades mais afetadas é Turismo, em todas as áreas nas quais é segmentado na atualidade: AventuraCulturaEcologia, Educação, EventosGastronomiaHistória, Lazer, Melhor Idade — até mesmo o de Negócios, sempre menos afeito aos modismos.

Comprar passagens de avião, ônibus, trem, navio por computador ou aplicativo deixou de lado as agências; poder se hospedar nas casas de pessoas comuns reduziu os custos com hotéis; o compartilhamento de veículos pôs fim à verdadeira ditadura dos táxis…

É cada vez mais comum montar programação de viagens, mesmo internacionais, por conta própria. As opções disponíveis pelo mundo virtual, com objetivo de oferecer soluções para os turistas, são crescentes: alimentação, passeios, roteiros, serviços etc.

Como está cada vez mais comum montar programação de viagens por conta própria, ficou difícil selecionar opções disponíveis no mundo virtual, com objetivo de oferecer soluções para os turistas, são crescentes: alimentação, passeios, roteiros, serviços etc.

Zimbe: segurança quando se viaja por conta própria

Mas havia uma lacuna, identificada por dois empreendedores, irmãos, do interior do Estado de São Paulo, ambos formados em Administração de Empresas: Heitor José Basílio, 29 anos, agente de viagens; e, Victor Basílio, 32 anos, funcionário público.

A sacada deles foi a seguinte: mãe e pai num destino, acompanhado de filho pequeno; tem programação da qual a criança não pode participar, com quem deixá-la? O ideal é uma babá. Mas, como achar uma babá naquele momento, em terras tão desconhecidas?

Casal em lua-de-mel, querendo registrar em imagens momentos românticos dos dois. O ideal é contratar um fotógrafo exclusivamente para isso, e não esperar a boa vontade de outros turistas no momento. Mas, e o dilema: como achar alguém capaz de atendê-los?

O normal é apoiar-se em indicações de terceiros, situação de insegurança ímpar, pois não há avaliações a serem consultadas sobre os nomes sugeridos. A solução: oferecer os profissionais capazes, conjugado a análises e recomendações de contratantes anteriores.

Os dois empreendedores, irmãos, do interior do Estado de São Paulo, ambos formados em Administração de Empresas — Victor Basílio, 32 anos, funcionário público, e Heitor José Basílio, 29 anos, agente de viagens — perceberam uma lacuna no mercado

Zimbe: conectando turistas a fornecedores ao redor do mundo

Depois de apresentar e debater a ideia com amigos, colegas diversos, companheiros de trabalho, conhecidos, familiares e, principalmente, profissionais do setor do Turismo, partiram para criar uma plataforma digital capaz de atender esses tipos de demandas.

Assim, nasceu o Zimbe, com a proposta de conectar turistas comuns aos mais diversos tipos de prestadores de serviço ao redor do mundo, facilitando a busca por profissionais qualificados, com economia de recursos e tempo — além da indispensável segurança.

O funcionamento é muito simples: os interessados em trabalhar full time, ou de modo esporádico, para ampliar a renda do mês, cadastram-se no sistema, descrevendo suas capacitações, todos os serviços oferecidos e a forma de ser contatado pelos interessados.

E não há limites para isso. Podem sem dos mais comuns, como guia de turismo, até os mais diferenciados, como arrumadeira, barman, chef de cozinha, empregada doméstica, garçom, instrutor de esportes, intérprete, maquiador, massagista, motorista e bem mais.

Não há limites para prestadores de serviços se cadastrarem no Zimbe: vai dos mais comuns, como guia de turismo, até os mais diferenciados: arrumadeira, barman, chef de cozinha, empregada doméstica, garçom, instrutor de esportes, maquiador, massagista…

Zimbe: soluções para Melhor Idade e necessidades especiais

Segmento interessante de ser trabalhado é aquele voltado àqueles de Melhor Idade e os de necessidades especiais, como mobilidade reduzida, por exemplo. Tanto os primeiros quanto os segundos têm ampliado as presenças por destinos ao redor de todo o planeta.

Outro está voltado ao chamado Turismo de Experiência, quando o turista deixa de ser passivo e, em vez de apenas observar, se envolve nas atividades: artesanato, bordados, culinária, pintura, produção de instrumentos musicais típicos… São muitos os exemplos.

O Zimbe não intervém nas negociações da forma da prestação do serviço, tempo de trabalho e, principalmente, valores envolvidos. Aliás, o turista não paga para acessar o sistema. O serviço é remunerado por assinaturas e anúncios de prestadores cadastrados.

O cadastro dos interessados em oferecer soluções e serviços também é gratuito. Assim, a plataforma, acessível via desktop, tablete ou smartphone, torna-se uma oportunidade de novos negócios também para profissionais atuantes do setor quanto para freelancers.

O Zimbe não intervém nas negociações da forma da prestação do serviço, tempo de trabalho e, principalmente, valores envolvidos. Aliás, o turista não paga para acessar o sistema. O serviço é remunerado por assinaturas e anúncios de prestadores cadastrados

Zimbe: uma startup em busca de investidores-anjo

Estruturada no modelo startup, o Zimbe, através dos seus sócios Heitor José Basílio e Victor Basílio, busca potenciais investidores-anjo — aqueles interessados em injetar capital em empresas nascentes, inovadoras, mas com potencial para decolar no mercado.

Concluindo, um parêntesis: startup é firma iniciante, mesmo fora da base tecnológica, atuando em ambiente de incertezas, mas criando negócio em condições de crescer de modo uniforme, repetível e sustentável. O termo nasceu a partir das “empresas.com”.jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo

*jornalista especializado em Turismo baseado na Cidade de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo

redacao@mgturismo.com.br

Agência de Notícias do Turismo, noticiário de MG, do Brasil e exterior em tempo real. O mais tradicional jornal especializado em turismo de Minas Gerais, com circulação ininterrupta desde 1985.

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×