Segunda Feira, 24 de fevereiro de 2020

Home / COLUNAS  / Notícias da Amazônia  / Santarém

Santarém

A partir da escolha, no XXXVI Congresso Nacional da Abrajet (realizado na aconchegante e interessante cidade de Urubici, em Santa Catarina), de Alter do Chão, um paradisíaco recanto natural encravado na bela Santarém (considerada como a “Pérola do Tapajós”) no Pará, como sede do XXXVII congresso nacional abrajeteano os olhos de jornalistas e turistas de todo o país e do resto do mundo se voltam para este destino. Nele, (a exemplo do Amazonas) há um festival de botos (“Tucuxi” e “Cor de Rosa”) que é uma das inúmeras atrações turísticas da região amazônica.

Alter do Chão é um dos distritos administrativos de Santarém, localizado na margem direita do Rio Tapajós, dista do centro da cidade cerca de 40 quilômetros através da rodovia Everaldo Martins (PA-457). É o principal ponto turístico de Santarém, pois abriga a mais bonita praia de água doce do mundo, segundo o jornal inglês The Guardian, ficando conhecida popularmente como “Caribe Brasileiro”. Até o século XVIII, a vila era habitada majoritariamente por comunidades indígenas Boraris. Ainda se tem vestígios dos nativos devido à existência de diversos locais com grande quantidade de pedaços de barro e frequentemente são encontradas peças na forma de cabeça de urubu, círculos com furo no meio, cachimbos, entre outros, além de machados de pedra polida.

Praias em Alter do Chão – Nas margens do rio Tapajós e do Lago Verde, em Alter do Chão, existem diversas praias. A mais famosa delas é a praia de mesmo nome do distrito, localizada em uma península com terrenos arenosos e inundáveis e também conhecida como “Ilha do Amor”. Existem também praias menores, como Cajueiro, na orla do distrito. Alter do Chão também é a porta de entrada para outros balneários, como Pindobal e Porto Novo, em Belterra, e Ponta de Pedras, em Santarém.

Festa do Sairé

O festival folclórico conhecido como Festa do Sairé é o mais importante do município de Santarém. Durante o período de festejos, ocorre o sincretismo entre os rituais religiosos ligados ao catolicismo e os profanos, estes últimos de origem indígena e enraizados entre os atuais habitantes. Lendas regionais, como a do boto amazônico, também são representadas.

nilton@mgturismo.com.br

Vice-presidente da ABRAJET-PA, apresentador da Rádio Clube 690 AM, presidente da Agência Notícias Gerais, diretor do Programa Panorama Amazônico (TV Grão Pará – Rede Gazeta).

Avalie esta notícia:
0 Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.

Leia a Edição

Edições Anteriores

Confira os destaques

Nenhuma matéria foi encontrada.

×