Sem categoria

ABIH divulga balanço do setor com fechamentos de hotéis na capital

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (ABIH-MG) registra fechamento de 32% dos hotéis na capital e 65% em Minas; entidade pede que a MP 948 que contrapõe a cobrança injusta de taxa do ECAD em área privativa do hóspede seja pautada e reivindica mais transparência no repasse ao compositor

A situação do setor hoteleiro está cada vez mais alarmante com os efeitos provocados pela pandemia. Um balanço feito pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (ABIH-MG) aponta que, em Belo Horizonte, até o momento 42 hotéis suspenderam suas atividades e a estimativa é de que 1800 funcionários sejam demitidos na Grande BH, e 4500 em todo o estado. A realidade e o cenário do setor hoteleiro estão cada vez mais desoladores com os efeitos terríveis provocados pela pandemia. De acordo com a ABIH-MG, os dados compilados no final de abril mostram que dos 132 hotéis de Belo Horizonte32% dos hotéis suspenderam suas atividades e a estimativa é de que 1800 funcionários sejam demitidos na Grande BH, e 4500 em todo o estado. “Muitas incertezas ainda rondam o setor e dos, 90 hotéis que ainda estão operando na cidade ainda podem suspender as atividades, se medidas urgentes não forem adotadas pelos governos, pois o isolamento deve ser ampliado ainda mais e terá um grande efeito dominó em toda a cadeia hoteleira”, revela o presidente da ABIH-MG, Guilherme Sanson. Ele destaca o levantamento do Observatório do Turismo de MG, considera 311 estabelecimentos no setor hoteleiro em Belo Horizonte, pois inclui pousadas, hotel, entre outros. Já a ABIH-MG inclui somente os hotéis.

Ele destaca que o número de estabelecimentos de hotéis em Minas Gerais é de 3.971 e desses, estima-se que 65% estão fechados, ou seja, em torno de 2581 hotéis. “A situação é terrível porque hotéis das cidades turísticas como Ouro Preto, Diamantina, Serra do Cipó, Marina, enfim, das cidades turísticas foram afetados diretamente e suspenderam as atividades e faz que o percentual seja elevado.  São muitos os problemas enfrentados e um deles é que os pleitos da entidade ainda não foram atendidos, que são a isenção do IPTU, redução do ICMS e ISS”, revela o presidente da Associação. “Não estamos conseguindo abertura para o diálogo com a prefeitura e o Governador. Foram feitos vários ofícios aos governantes nas esferas estadual, federal e municipal e só houve   retorno apenas da prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Khalil, que afirmou ter recebido a demanda e  que está estudando e dará retorno assim que possível. Temos senso de urgência, tendo em vista que nosso setor agoniza.  Não haverá amanhã ou depois, se não houver celeridade para minimizar os efeitos da crise”, reforça.  Outra solicitação da entidade para o Governo Federal é que a MP 936 seja prorrogada pelo menos por mais seis meses para ajudar na manutenção do empregos e das empresas.

MP 948 contra a cobrança injusta de taxa do ECAD em área privativa do hóspede

Para piorar ainda mais, os hotéis lutam contra a cobrança de taxa do ECAD pelo direito autoral das música dentro dos apartamentos, mesmo sem o cliente usar. O segmento precisa da aprovação da MP 948( que foi desmembrada da MP 907), que prevê a cobrança do Direito Autoral em áreas comuns dos hotéis e não nos apartamentos (área privativa do hospede). Guilherme revela que o setor defende a cobrança justa e a transparência no repasse ao compositor ABIH. “É fora de propósito esta cobrança de direito autoral dentro dos apartamentos, é como pagar pela música na sua residência ou pagar pelo frigobar sem usar. Estamos confiantes que os deputados vão colocar em pauta para votação e serão sensíveis à esta questão diante dos graves efeitos gerados pela COVID-19, mas sobretudo pelo bom senso”.

Em Belo Horizonte e região, já anunciaram o fechamento das atividades os hotéis: Fasano, Mercure Lourdes, BHB, Quality Pampulha, Classic, BH Plaza, Bristol Merit, ESuites Lagoa dos Ingleses, San Diego Barro Preto, Intercity BH Expo, Boulevard Express e Boulevard Park. A previsão é que ao longo de maio mais hoteis sejam fechados. Para Sanson, o cenário de fechamento e paralisação dos hotéis só pode ser revertido com a tomada de decisões mais rápida do governo, como a isenção do IPTU e ICMS e a redução do ISS e mais estímulos com capital de giro e a preservação dos empregos, enquanto durar a pandemia do Coronavírus.

Pleitos não atendidos: Prefeitura: Isenção do IPTU, redução do ICMS e ISS.

Aneel: suspensão da cobrança da tarifa mínima.

RAIO X

·        132 hotéis de Belo Horizonte32% dos hotéis suspenderam suas atividades

·         Em 2019, os serviços turísticos apresentaram um total de 2.962.951 trabalhadores no país segundo a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Destes 1,9 milhão, cerca de 66, 1%, atua na hotelaria e alimentação.

·        Minas é o segundo da federação com o maior número de estabelecimentos ligados à atividade, 127 mil empresas;

·        Terceiro com o maior número de empregos na área, 401 mil pessoas atuando no setor;

·        Número de estabelecimentos para o setor de hospedagem em Minas Gerais: 3.969;

·        Representatividade do Setor de Turismo em Minas Gerais: 3,09%.