Notícias

Aeroporto Internacional de BH tem retomada dos voos da Copa Airlines

Neste domingo, dia 6 de agosto, chegou ao aeroporto operação vinda da Cidade do Panamá que amplia a conectividade de Minas Gerais 

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, recebeu neste domingo (6) o primeiro voo da Copa Airlines, desde março deste ano, quando a companhia suspendeu seus voos em função da pandemia do coronavírus. Vindo da Cidade do Panamá, inicialmente, serão três frequências semanais aos domingos, terças e sextas-feiras. 

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte já tinha reaberto o terminal internacional em 3 de agosto, quando retornaram as operações da TAP Air Portugal. O retorno de mais um destino internacional amplia a conectividade de Minas Gerais e faz parte da retomada gradual das operações mantendo toda a segurança de passageiros, visitantes e comunidade aeroportuária em tempos de pandemia do coronavírus.   

“Estamos em um momento de boas expectativas em relação à retomada de voos no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, e tivemos essa boa notícia do retorno dos voos da Copa Airlines. Como isso, passaremos a atender os passageiros que desejam viajar para América do Norte, América Central e Caribe, por meio de uma rápida conexão na cidade do Panamá. Nosso intuito é seguir ampliando a conectividade de Minas Gerais, sobretudo pelo aumento da demanda na alta temporada. Vale ressaltar que essa retomada tem sido gradativa e seguindo todos os protocolos de segurança necessários para prevenção da Covid-19”, avalia Clayton Begido, gestor de Conectividade e Aviação da BH Airport.     

Sobre a BH Airport  

A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo, além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil, que tem 49% de participação.