Notícias

Allbirds e adidas lançarão tênis mais sustentável do mundo

Close up shot of runner's shoes

Projeto tem como objetivo reduzir a emissão de gás carbônico do início ao fim da produção

Rodolfo Milone

A adidas já é conhecida por sua linha de performance, a adidas Ultraboost, e lançará mais um modelo para esportes, mas, desta vez, com proposta nova e audaciosa: a marca quer produzir o tênis mais sustentável do mundo, com foco na diminuição de emissão de gás carbônico. Para isso, firmou parceria com a Allbirds, startup de calçados ecológicos.

Produzir com componentes mais sustentáveis é uma tendência não muito nova no mercado – a própria adidas já lançou modelos utilizando plástico reciclado no lugar do comum. Mas a  extração de recursos, como petróleo, couro e algodão, e o transporte desses materiais, etapas que fazem parte do processo comum de confecção de qualquer sapato, produzem muito gás carbônico, poluente que causa mudanças climáticas negativas.

“As marcas são muito boas em destacar materiais ecologicamente corretos e em não chamar a atenção para aqueles que são poluentes. Mas, quando você se concentra no carbono, não pode se esconder”, diz Tim Brown, cofundador da Allbirds, à Fast Company.

A meta do projeto é encontrar uma maneira de manter a emissão do gás em dois quilos por tênis, o equivalente a de um carro comum percorrendo oito quilômetros – quantidade mínima que as marcas consideram viável para a confecção de um produto de qualidade.

Para isso, ambas irão contribuir com seus conhecimentos: “Isso requer projetar todas as partes do processo. O objetivo da Allbirds é redesenhar o tênis do zero e o da adidas é fabricar o item de maneira sustentável em escala”, disse James Carnes, vice-presidente de estratégia de marca da adidas. 

A ideia é que o projeto não apenas dê origem a um produto inovador, como também seja uma colaboração aberta, para que outras marcas possam utilizar a metodologia aplicada neste novo modelo e o impacto ambiental seja reduzido significativamente em outras produções.

A data de lançamento exata ainda não foi divulgada, mas a expectativa é de que o calçado já esteja nas lojas a partir do ano que vem.

A indústria têxtil é a que mais polui

É comum incriminar a indústria petrolífera pela poluição, porém quem produz a maioria dos resíduos que vão para o ar, solo, mares e rios é a têxtil, que engloba vestimentas como os calçados.

Malhas de poliéster, por exemplo, que é a fibra sintética mais usada na indústria têxtil em todo o mundo, requerem, segundo especialistas, 70 milhões de barris de água todos os anos e demoram mais de 200 anos para se decompor.

A viscose, que também é artificial e feita de celulose, precisa que 70 milhões de árvores sejam derrubadas anualmente para suprir sua demanda no mercado.

Apesar disso, é engano pensar que os sintéticos são os únicos vilões. O algodão, apesar de natural, tem seu cultivo no topo da lista de maior uso de agrotóxicos no mundo. 24% de todos os inseticidas e 11% dos pesticidas são destinados a essa fibra e impactam o solo e a água.

Até o algodão orgânico, que não leva agrotóxico, promove a degradação ambiental, já que, para produzir apenas uma camiseta, é necessário o uso de 2.700 litros de água.

Dessa maneira, reduzir tanto o consumo exagerado, quanto encontrar caminhos para reduzir os impactos ainda na produção, é necessário para a saúde ambiental.