Notícias

Brinquedos infantis são caros? Saiba economizar nas compras

A compra de brinquedos pode representar uma surpresa na fatura do fim do mês. Assim, saber economizar é essencial para não errar no presente e não ultrapassar o orçamento.

Quem tem crianças em casa sabe que os brinquedos infantis estão longe de serem produtos baratos. Satisfazer os desejos dos pequenos pode trazer um grande susto no fim do mês, na hora de pagar a fatura do cartão.

Mesmo sabendo que os brinquedos infantis não são tão baratos, há alguns truques para economizar na hora das compras sem abrir mão de adquirir um presente incrível para os pequenos.

Com nossas dicas, ficará muito fácil acertar nos presentes e aproveitar a data promocional 11/11 ou outras datas de ofertas para economizar nos brinquedos das crianças.

Pesquise

A primeira dica parece óbvia, mas, na prática, não é tão simples assim. Assim como produtos para os adultos, os brinquedos também precisam de buscas e pesquisas anteriores à compra.

O mundo virtual deixou a rotina de pesquisar preços muito mais fácil e ágil. Ao alcance de um dedo, você tem acesso a diversas lojas, nas quais você pode pesquisar os preços. Alguns sites permitem que você acompanhe a oscilação do preço de um produto ao longo do tempo, o que pode ser muito útil para economizar nas compras.

Uma compra por impulso, como aquela que é feita quando uma criança chora no shopping por querer um brinquedo, pode fazer com que você pague até 80% mais caro do que você pagaria se tivesse pesquisado por aquele produto.

Ao pesquisar, você verá que vale muito a pena aproveitar datas promocionais, como o 11/11 ou a Black Friday para adquirir um brinquedo, principalmente para presentes de aniversário ou Natal.

Invista no diálogo

A partir dos 6 ou 7 anos, os pequenos já podem conhecer o orçamento familiar. Não estamos falando de jogar para as crianças a responsabilidade financeira da casa ou preocupá-las com assuntos muito sérios, como dívidas. Porém, elas podem entender que existe um orçamento para brinquedos, e que esse orçamento não pode ser ultrapassado.

Os pequenos nessa idade já entendem esses acordos, e cabe aos adultos manter o controle da situação em caso de birra na hora das compras. Mantendo esse tipo de combinado com as crianças, além de economizar nas compras, você abre um caminho para diálogos mais honestos e para a educação e a responsabilidade financeira desde cedo.

Com crianças menores, o indicado é não levá-las na hora das compras, pois, para elas, o dinheiro ainda é algo muito abstrato, e as chances de você acabar gastando mais do que o previsto por conta de birra ou por não conseguir dizer “não” são muito altas.

Não deixe a garantia de lado

Muitas vezes, o barato sai caro. Na hora de comprar, não deixe de garantir que o brinquedo tenha sua procedência avaliada pelo Inmetro e que seja de uma marca confiável.

Quando apostamos em brinquedos de procedência duvidosa eles podem se quebrar facilmente, estragando a experiência da criança e podendo até causar acidentes, como cortes e ingestão de peças.

Além disso, na hora da compra, peça a garantia para trocas e consertos caso o brinquedo venha quebrado. Ainda, caso seja um produto de valor mais alto, não hesite em pedir uma garantia estendida.

Planeje-se

Por fim, mas não menos importante, a compra de brinquedos deve ser planejada. Como foi dito anteriormente, separe uma parte do orçamento a ser destinada à compra de brinquedos para os pequenos.

Além disso, na hora de adquirir um brinquedo, os adultos devem planejar qual será o gasto completo daquela compra. Por exemplo: quando se compra um videogame, não se adquire apenas o console, mas há também um gasto considerável com jogos e acessórios. Portanto, todas as aquisições extras que serão necessárias para que um brinquedo faça sentido devem ser consideradas e colocadas na ponta do lápis.