Edição Impressa

Cariacica (ES), na Grande Vitória, busca destaque no turismo nacional

João Batista Zuccaratto

O Município de Cariacica tem comércio pujante — distribuído pelos bairros Campo Grande, Itacibá, Jardim América e Porto de Santana —, é polo de gastronomia com culinária diversificada e mostra forte vocação para o chamado Turismo de Negócios.

Entretanto, até esse segmento não vinha sendo bem aproveitado, pois a hospedagem acontecia na Cidade de Vila Velha ou na Cidade de Vitória. Isso começa a mudar breve, com a inauguração do primeiro hotel especializado em hóspedes viajando a trabalho.

É o Nóbile Inn Meridional, construído de frente para o trevo da interseção da Rodovia Governador José Sete com a BR 262. Será vizinho da sede da Prefeitura do Município de Cariacica, Fórum de Cariacica, Hospital Meridional e campus universitário da Faesa.

Outros potenciais em Turismo a serem melhor trabalhados no Município de Cariacica são AgroturismoCicloturismoEcoturismoTurismo de Aventura, Turismo de Lazer, Turismo CulturalTurismo HistóricoTurismo Religioso e Turismo de Melhor Idade.

Há propriedades rurais atendendo visitantes, mas o número pode ser maior. As estradas vicinais convidam para passeios em bicicletas. Matas preservadas, montanhas de acesso fácil, rios, pequenas corredeiras e reservas de proteção ambiental são outras atrações.

Passeios a pé na área rural, pontos de escalada e rapel e rampas para voo livre chamam os amantes da adrenalina. E é vasta a oferta de manifestações folclóricas, construções antigas e festas populares, atendendo crianças, adolescentes jovens, adultos e idosos.

Mas, se perguntarmos aos moradores sobre as riquezas do Município de Cariacica, é bem provável ouvirmos: “Aqui não tem nada não.” E, se for sobre atrativos de Turismo, então…  Por vezes, moram, vivem, ao lado, juntinho, deles e ignoram completamente.

Significado do nome? Há três versões. Duas delas são “mangue seco” ou “peixe seco” — ambas aproveitadas para denegrir a região. Entretanto, a mais plausível, defendida e usada pela Prefeitura, toma por base a união de três termos Tupi “cari”, “yaci” e “caá”.

Cari é homem branco. Yaci, deusa da Lua. Caá, mato, plantas. Na forma representativa do falar daqueles nativos, ao unirem os três, estavam expressando algo como “o homem branco chegou às nossas terras surgindo em meio à Mata de Restinga situada a Leste”.

Resumindo, hoje se aceita, apenas, “chegada do homem branco”. Deveria estar presente em toda peça de divulgação da cidade: placas nas ruas, site, material de publicidade etc. Aliás, ação similar precisaria ser adotada por todo Município batizado com termos Tupi.