Notícias

Concurso INSS: edital para efetivos será lançado ao fim dos contratos temporários

Salvador, Brazil - September28, 2015: facade of a branch of the INSS the city of Salvador (BA).

Órgão estuda a quantidade necessária de novos servidores para que o déficit da área diminua

Por Rodolfo Milone

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) se prepara para que o próximo concurso para servidores efetivos ocorra dentro dos conformes depois que o contrato com os trabalhadores temporários se encerrar. O órgão tem se programado para realizar um levantamento da necessidade de servidores em 2021.

Neste cenário, uma solicitação poderá ser encaminhada ao Ministério da Economia para que o certame seja integrado ao orçamento anual lançado pelo governo federal para o ano seguinte. De qualquer forma, a entidade necessita de novos servidores para diminuir os processos que estão na fila de espera.

“Vamos precisar fazer concursos, mas agora não é o momento”, disse Leonardo Rolim,  presidente do órgão, em entrevista ao jornal O Globo. Em 2019, um pedido de autorização para o certame foi pedido com a solicitação de  7.888 vagas, sendo 3.984 para o cargo de técnico, 1.692 para analista e 2.212 para perito. No entanto, o edital do INSS não foi lançado em 2020.

No último lançamento, em 2015, o objetivo era preencher 950 vagas, sendo 800 oportunidades na função de técnico e as outras 150 para analista. Esse concurso foi considerado um dos mais concorridos da história, já que foram 1.087.789 inscrições, sendo 1.043.807 somente para técnico do seguro social. Em número de participantes, esse certame ficou atrás apenas dos promovidos pela Caixa Econômica Federal (CEF), realizado em 2014, com 1.156.744 candidatos, e pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), feito em 2011, com 1.120.393 participantes.

Necessidade

Em 2019, o INSS contabilizou três milhões de processos esperando por análise, segundo dados do próprio órgão divulgados pela revista Fórum. Para associações sindicais, como a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), a demora estaria acontecendo devido à falta de colaboradores para atender os pedidos.

O déficit seria resolvido por meio do concurso realizado neste ano, mas ele foi adiado. No entanto, o órgão contratou 8.230 temporários de níveis médio e superior, que ficarão no cargo até 31 de dezembro de 2021, sendo possível a prorrogação. 

Entre os que puderam concorrer às vagas estão os aposentados pelo Regime Próprio de Previdência Social da União (do INSS ou de outros órgãos federais) e os militares da reserva das Forças Armadas. A seleção recebeu mais de 17 mil inscrições.