Notícias

Dar o carro como entrada para comprar outro veículo, vale a pena?

Por Rodolfo Milone

Atualmente, comprar um automóvel é tarefa difícil. Afinal, o preço de um carro popular (como o mais vendido do Brasil) é superior a R$56.000,00. Portanto, não é todo mundo que tem esse dinheiro na conta para comprar um automóvel à vista. Assim, é necessário optar pelo financiamento automotivo e, nesse momento, as pessoas sempre se perguntam se dar o carro como entrada para comprar outro veículo vale a pena.

Se você tem essa dúvida, veio ao lugar certo. Neste artigo, vamos analisar se vale ou não a pena dar um carro como entrada para financiar outro automóvel ou se a melhor opção é usar o carro de outra forma. Para isso, faremos algumas contas e vamos dar algumas dicas do que fazer em cada contexto para definir qual é a melhor opção para você.

Então, vamos às dicas a seguir!

Dar o carro como entrada para comprar outro veículo vale a pena?

A lógica de dar o seu carro atual de entrada na compra de um outro veículo vale a pena quando analisada do ponto de vista superficial. Afinal, se o seu carro vale algum dinheiro, você precisará se desfazer dele de qualquer forma para ajudar no valor da entrada do financiamento. Tudo perfeito, certo?

Em teoria, sim. Mas na prática, talvez não. Tudo depende de um conjunto de fatores, uma vez que cada caso é muito específico, especialmente quando estamos falando de carros seminovos.

Por isso, nós listamos abaixo as situações em que vale ou não a pena dar o carro como entrada. Veja a seguir!

Quando vale a pena

A grande problemática se vale ou não a pena dar o carro de entrada é em relação ao preço que a concessionária ou montadora dará pelo veículo em questão. O que acontece é, em teoria, que a concessionária pode revender aquele veículo. Nesse caso, ela teria o interesse em receber o carro e, para isso, aceitaria avaliá-lo com um preço maior, embora ainda abaixo do que ela poderia vender.

Já se a concessionária não enxergar a venda daquele automóvel com facilidade, ela não terá tanto interesse em obtê-lo e, por isso, tende a avaliá-lo mal. 

Além disso, a concessionária ainda pode ser atrativa para o motorista em alguns casos. Por exemplo, ele pode não ter tempo ou disposição para vender o veículo por conta própria e alcançar um valor maior do que a concessionária “pagaria” por ele. Nesse caso, como se desvincular do carro pela concessionária é mais fácil, pode valer a pena dá-lo como entrada.

No geral, a regra básica é que vale a pena dar o carro de entrada quando:

  • o valor do desconto é próximo do que você conseguiria vendendo o carro por conta própria (descontado o imposto de venda);
  • você não tem tempo ou disposição para vender;
  • sua intenção é fechar negócio o mais rapidamente possível.

Quando não vale

Não vale a pena dar o carro de entrada quando você não vai receber o suficiente por ele. Pense, por exemplo, em um carro cujo preço na Tabela FIPE é de R$30.000,00. Isso significa que você consegue vendê-lo, de maneira relativamente fácil, na Internet, por algo como R$25.000,00. Se a concessionária está dando o valor desse carro como o equivalente a R$10.000,00 de entrada, então de fato não vale a pena o negócio.

Nesse sentido, vale mais a pena vendê-lo por conta própria e usufruir do dinheiro como bem entender. Isso, claro, se você tiver como vendê-lo ou tiver a disposição para negociá-lo com vendedores. Uma opção é deixá-lo em uma concessionária para que seja vendido no sistema de consignação de automóveis. Dessa maneira, a concessionária fica com o carro na loja como se fosse do catálogo dela e faz a venda, cobrando uma comissão por isso.

Assim, pode ser interessante vender o carro e receber um valor maior, o suficiente para a entrada no novo automóvel e ainda sobrar um pouco com você.

Como saber o que é melhor para você?

A alternativa correta vai depender da sua capacidade de transformar o seu carro atual em dinheiro. Se você conseguir vendê-lo facilmente na Internet, via consignação ou com algum conhecido, então não vale a pena dar o automóvel como entrada. Isso porque a tendência é que o valor obtido seja maior do que a avaliação da concessionária no momento da troca.

Já se o seu carro estiver muito usado, desvalorizado e não for fácil vendê-lo, então o melhor é dá-lo como entrada na hora de comprar um novo. Assim você já pode se livrar dele mais facilmente e aproveitar melhor o valor oferecido.

Agora que você já entendeu que dar o carro como entrada para comprar outro veículo vale a pena em alguns casos, mas em outros não, pode começar a se planejar para o futuro. Sabendo qual é a melhor opção para o seu contexto, fica mais fácil decidir se essa é uma opção válida para você, além de permitir que você possa agir da forma mais vantajosa para o seu cenário.

Gostou do conteúdo? Agora é só deixar um comentário com a sua opinião!