Notícias

Dez países já permitem a entrada de brasileiros para intercâmbio

Viajar ao exterior para passar uma temporada com o objetivo de trabalhar ou estudar foi um dos planos que tiveram que ser adiados em função da pandemia provocada pelo novo coronavírus. No entanto, a chegada das vacinas contra a Covid-19 tem animado os estudantes que vislumbram essa possibilidade.

Por Rodolfo Milone

Alguns países já estão liberando a entrada de brasileiros, desde que sejam seguidas normas de segurança sanitária específicas. O ideal é buscar saber quais são esses países e começar o planejamento com antecedência, para que nenhum detalhe seja deixado de lado.

O primeiro passo é fazer um levantamento do orçamento pessoal, colocando todos os gastos em uma planilha ou mesmo em aplicativos personalizados. Devem ser registrados dados como despesas fixas, gastos com cartão de crédito (anuidade e faturas) bem como custos extras, rendimentos, investimentos e despesas bancárias. 

De forma resumida, o documento deve conter tudo que entra e sai da conta bancária para que o futuro intercambista possa ter a exata noção do que é essencial para a sua sobrevivência e o que é supérfluo e pode ser cortado.

Os passos seguintes são escolher o destino e fazer um levantamento do custo de vida do país pretendido. Assim é possível observar se será necessário fazer renda extra e também providenciar os documentos exigidos para a entrada e permanência naquele país. Importante usar um bom conversor de moedas para que o levantamento fique mais fiel à realidade, evitando surpresas desagradáveis.

Além da questão financeira, o interessado em estudar no exterior deve estar atento aos protocolos de biossegurança que cada país tem adotado em função da pandemia. Ainda que a vacinação seja uma realidade em diversas nações, muitas normas seguem sendo aplicadas a nativos brasileiros.

Países com acesso liberado a brasileiros

África do Sul

Para desembarcar na África do Sul para estudar, é preciso apresentar um teste negativo de Reação em Cadeia da DNA Polimerase (PCR) para a Covid-19, realizado 72h antes da partida. Caso contrário, é obrigatória a quarentena de 14 dias antes de poder circular pelo país.

Alemanha

Brasileiros interessados em intercâmbio devem se cadastrar no site Registro Digital de Entrada do governo alemão, antes de chegar ao país, e apresentar o comprovante de inscrição. Além disso, é necessário apresentar o teste negativo de Covid-19 realizado 48h antes da partida.

Canadá

Para entrar no Canadá, o intercambista precisa apresentar visto de estudante e documentação que comprove que a viagem é essencial. Em todos os casos, é obrigatório permanecer em quarentena por 14 dias.

Chile

A entrada no país está liberada pelo Aeroporto de Santiago e é preciso ter a mão formulário eletrônico de declaração do viajante preenchido 48h antes do embarque. O estudante também deve apresentar prova de resultado negativo de PCR feito 72h antes da partida e comprovante da apólice de seguro saúde que forneça cobertura para Covid-19.

Emirados Árabes Unidos

A entrada no país arábico é liberada mediante apresentação de visto e de teste de PCR negativo para Covid-19 efetuado 96h antes de o estudante viajar.

Espanha

Só é permitida a entrada em território espanhol daqueles que possuem visto de estudante e seguro saúde. Para ingressar, é preciso ainda preencher formulário de saúde obrigatório e apresentar PCR negativo para a Covid-19, efetuado 72h antes da partida.

França

O país também exige visto de estudante para quem for permanecer no país por mais de 90 dias. O interessado deve apresentar o PCR negativo feito nas 72h anteriores ao embarque e preencher uma declaração juramentada.

Holanda

A Holanda permite a entrada de estudantes com visto de longa duração – para cursos acima de 90 dias – com uma carta de notificação emitida pelo Serviço de Imigração e Naturalização, em holandês, com um bloco de texto em inglês. É necessário ainda preencher um formulário de saúde obrigatório e ficar em quarentena por 10 dias.

Malta

Podem entrar em Malta estudantes brasileiros que passem pelos menos 14 dias em países seguros para Covid-19. Pode ser necessário apresentar PCR negativo para Covid-19 feito 72h antes de ingressar no país. No entanto, não é necessário visto por conta do Acordo Schengen.

Portugal

Para estudar em Portugal, o interessado precisa ter visto de estudante e apresentar PCR negativo para a Covid-19 feito 72h antes da partida.