Notícias

Diretoria da Fecitur garante gestão horizontal e valorização das Instâncias de Governança

Victória Fernando

Na manhã do dia 26 de novembro de 2020 aconteceu a eleição para a nova diretoria da Federação dos Circuitos Turísticos de Minas Gerais (Fecitur). A chapa eleita por unanimidade para governar até 2022, tem como presidente o gestor do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes, Marcus Januário. Dentre as propostas apresentadas, os eleitos garantem executar um plano de ação voltado para consolidação e valorização das Instâncias de Governança Regionais.

A diretoria em exercício anteriormente contava com a liderança da Ane Massafera, gestora do Circuito das Águas, que tinha como diretor de comunicação Bruno de Sá, a frente do Circuito das Pedras Preciosas e a Adriana Ferreira, representante do Circuito das Grutas, encarregada pela tesouraria. Além disso, o novo presidente eleito da Fecitur ocupava o cargo de diretor técnico nessa gestão.

Buscando um melhor funcionamento da organização, a atual diretoria foi nomeada de forma distinta dos demais anos, sendo distribuída da seguinte maneira: Marcus Januário (IGR Trilha dos Inconfidentes) como presidente, Filipe Condé (IGR das Águas) na vice-presidência, Adriana Ferreira (IGR Grutas) como Diretora Secretária, Igor  Diniz (IGR Noroeste das Gerais e Alto Paranaíba) e Ana Maria Garcia (IGR Serras e Cachoeiras) responsáveis pela tesouraria respectivamente, Éthany Cícero da Cunha (IGR Diamantes) na diretoria técnica e, por fim, Fátima  Mafra (IGR Alta Mogiana) como diretora de Marketing e Comunicação. Ademais, vale ressaltar que a atuação da diretoria acontece com a participação do Conselho Fiscal, formado por seis representantes, eleitos no mesmo dia. São eles: José Peres Romero Filho (IGR Malhas), Rosely Moraes (IGR Serras Verdes Sul de Minas), Maria Eunice Lagares (IGR Trilhas do Rio Doce), Tatiana Rezende (IGR Villas e Fazendas de Minas), Sérgio Vitarelli (IGR Serras de Minas) e Cecília Galvão (IGR Trilha dos Bandeirantes).

Dentre os 44 Circuitos Turísticos de Minas Gerais, 32 são associados a Fecitur. Nesse sentido, diante do tamanho e relevância da organização no cenário turístico estadual, Marcus Januário reforça o compromisso da atual gestão para com os presidentes e gestores de cada IGR. “Cada representante tem o mesmo peso de decisão. Queremos atuar com maior proximidade aos Circuitos na formação e mobilização de legislativos municipais, a fim de destacar a importância do projeto da regionalização nas cidades”. O presidente reitera, ainda, a bandeira de trabalho erguida pela diretoria. “Nossa proposta para 2021 é articular junto a Assembléia Legislativa do estado o aumento da alíquota do ICMS do Turismo, provocando uma discussão acerca do ICMS como um todo. No âmbito federal, com o Ministério do Turismo e Deputados Federais, queremos aprovar repasses de recursos para investimentos por meio das IGR’s, o que atualmente ainda não é possível ser feito com repasses diretos para as Instâncias Regionais”.