Notícias

Edital #ARteSalva contempla mais de 700 projetos em Minas Gerais

A maioria das propostas selecionadas vem de regiões do interior do estado

O movimento #ARteSalva, além de promover auxílio aos profissionais da Cultura e do Turismo mineiros que precisaram paralisar suas atividades devido às medidas de distanciamento social, atua também com importantes ferramentas de fomento a atividades culturais no estado. Uma delas é o Edital #ARteSalva – Fundo Estadual de Cultura (FEC), por meio da qual a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) busca descentralizar as políticas públicas para cultura. O resultado, publicado nesta segunda-feira (27/7), registra grande adesão de municípios do interior, demonstrando que a maioria das propostas não se concentrou apenas em Belo Horizonte.

Dos 722 projetos aprovados no total, 470 são de proponentes oriundos de diferentes regiões do estado. Ainda que Belo Horizonte represente um número maior de propostas submetidas ao edital, somando 252 projetos aprovados, a comparação entre capital e outros municípios demonstra uma grande capilaridade da iniciativa por todo o estado. No acumulado de propostas, BH corresponde a 34,9% de projetos. Já a soma das demais cidades, 65,1%.

Para o secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, os números significam uma distribuição mais democrática das iniciativas da Secult e reforça que descentralizar e interiorizar são desafios constantes da Secretaria. “É fundamental que nossas políticas sejam descentralizadas para que possamos ampliar o alcance às regiões do estado, tudo isso aliado ao diálogo com a diversa cadeia da cultura em Minas. No entanto, temos ainda um largo caminho a percorrer onde a desburocratização do acesso é a grande meta”, ressaltou o secretário.

Para simplificar a legislação que rege as questões culturais, o secretário da pasta relata que foi formado um grupo de trabalho na Secult em parceria com a comissão de Cultura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para propor alterações na legislação que facilitem o acesso aos recursos do FEC, por exemplo. Segundo o secretário, uma primeira proposta já foi apresentada, aprovada e em vias de ser publicada. “Essa proposta altera de forma significativa o acesso aos recursos, simplificando-o dentro da legalidade”, ressalta Leônidas Oliveira.

Após aprovados, os projetos passarão, ainda, por uma validação junto à Superintendência de Fomento Cultural, Economia Criativa e Gastronomia da Secult. O edital prevê o aporte de R$ 1.900,00 para a realização e execução de vídeos de expressão artístico-cultural que serão exibidos gratuitamente em ambientes digitais e nas emissoras de rádio e TV do Estado, como a Rede Minas e a Rádio Inconfidência.

O Edital #ARteSalva – Fundo Estadual de Cultura foi elaborado como forma de estimular produções artísticas e culturais mitigar os efeitos da pandemia de Covid-19 na cadeia produtiva da cultura em Minas Gerais e vai destinar R$ 2,5 milhões em premiações para artistas independentes, bandas, profissionais do circo e demais realizadores. Os recursos são provenientes do Fundo Estadual de Cultura, que foi descontingenciado integralmente, graças a um esforço da Secult junto ao Governo do Estado.