Notícias

Eletrodomésticos antigos gastam mais energia; saiba quando é a hora de trocar

Além da economia no fim do mês, aparelhos modernos são mais seguros e benéficos para o meio ambiente

Todo mundo já ouviu pelo menos uma vez na vida que os eletrodomésticos de antigamente tinham uma durabilidade e uma qualidade maior do que os atuais. Entretanto, é necessário desmistificar esse senso comum e mostrar que, na verdade, os aparelhos de hoje em dia apresentam maior segurança, economia  e funcionalidade do que os do passado.

Dentre os riscos apresentados, há maior probabilidade de levar choques e até mesmo ter curtos-circuitos. Hoje em dia, a questão da segurança doméstica se faz muito presente, e os aparelhos possuem o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), que  informam sobre a eficiência energética e o consumo de energia dos produtos. O Selo Procel também classifica os produtos em uma escala que vai de A (mais eficiente) a G (menos eficiente).

Se o seu eletrodoméstico não tem o Selo Procel, esta já é uma razão para substituí-lo por um que consuma menos energia. A troca representa economia nas próximas contas de luz e caracteriza-se, na verdade, por uma atitude sustentável, que trará benefícios ao meio ambiente e ao seu bolso.

Em média, um equipamento tem vida útil de dez anos, mas alguns cuidados devem ser tomados para evitar acidentes, como, por exemplo, verificar se há fios arrebentados, manchas nas partes metálicas, superaquecimento, deformações, mau funcionamento, barulhos ou ruídos estranhos, etc.

No Brasil, as contas de energia elétrica estão em constante reajuste, principalmente em época de crise. Buscar formas de economizar e diminuir os gastos traz um grande benefício no fim do mês, e essa economia pode ser feita antes mesmo de comprar um eletrodoméstico. Analisar quais aparelhos mais consomem e ver a classificação de eficiência do Selo Procel são boas possibilidades.

A evolução tecnológica dos materiais influencia nas condições para que sejam produzidos aparelhos e equipamentos, trazendo mais eficiência no consumo de energia. A preservação dos recursos naturais e a manutenção da sustentabilidade do planeta foram bons gatilhos para esta mudança.

Todos os eletroeletrônicos que produzem calor, como o chuveiro, a geladeira, o ferro de passar, as lâmpadas incandescentes e outros, costumam gerar maior consumo de energia elétrica. Uma dica de economia é etiquetar cada aparelho com os seus respectivos valores de gasto.

Confira alguns dos aparelhos que mais gastam energia em uma residência, veja mais formas de economizar e entenda a importância da troca de equipamentos velhos por novos.

Chuveiro elétrico

A melhor economia é a consciência, tanto pela questão financeira, quanto pela ambiental. Tomar banhos mais rápidos e mais frios ajudam a ter um alívio no final do mês. Em modelos modernos, além da resistência comum, há uma resistência refil para otimizar as trocas e evitar possíveis acidentes.

Máquina de lavar

As máquinas de lavar são responsáveis por um grande custo nas contas de luz, mas, hoje em dia, até mesmo as lava e seca, que eram reconhecidas por gastar muito, possuem versões mais eficientes

Uma dica importante para economizar é juntar uma boa quantidade de roupas e lavá-las de uma vez e usar a quantidade certa de sabão para enxaguar a roupa em uma só lavagem,  priorizando a água fria, já que, quanto mais calor, mais gastos.

Geladeira

Ficar ligada por 24 horas gera os seus impactos no fim do mês. Quanto mais novo for o modelo, maior é a economia de energia. Outro benefício encontrado nos novos aparelhos é a ausência do gás CFC (clorofluorcarbono), que era usado antigamente e tem um grande potencial de agressão ao meio ambiente, destruindo a camada de ozônio.

Lâmpadas

Existe uma grande variedade de tipos de lâmpada no mercado, mas a mais econômica é a de LED, que não gera calor. As fluorescentes têm um gasto médio, mas consomem quatro vezes mais energia do que as de LED. Por fim, as incandescentes são as mais antigas e as mais consumistas do mercado pelo fato de produzirem calor. 

Televisão

Os aparelhos que ficam mais modernos a cada dia são responsáveis por cerca de 10% a 15% dos gastos de energia elétrica mensais, mas um benefício são as novas televisões, que possuem modo de economia de energia que desligam a imagem se você esquecer a TV ligada por muito tempo.–