Agência de Notícias

Em tempos de crise, não cancele, remarque!

Grupo MM busca soluções para o segmento de eventos

Uma das mais tradicionais empresas do setor de eventos nacionais e internacionais, o Grupo MM, com mais de 27 anos de mercado, tem levantado uma bandeira para alavancar os negócios. Trata-se de campanhas em suas redes sociais e comunicação interna com seus parceiros para que os eventos agendados sejam remarcados e não cancelados.

A companhia acaba de promover um live streaming com tecnologia desenvolvida especialmente para a empresa a fim de apresentar ao mercado esse novo formato de negócio em parceria com Rafael Pongelupi sócio da RSTCom. “Trouxemos palestrantes para o evento, além de promover uma mesa redonda com o intuito de discutir novas alternativas e formatos para o setor”, comenta a diretora de relacionamento do Grupo MM, Ana Carolina Medeiros.  O evento teste contou com a presença do cientista político, Bruno Garschagen, e da jornalista, Denise Barbosa. 

A nova ferramenta pode ser acessada de qualquer lugar: computadores, smartv, celulares, e comporta até 100 participantes com interatividade para dois speakers simultaneamente. Pesquisas e votações em tempo real podem ser feitas por meio da plataforma, além do armazenamento de links e informações relevantes. Para Ana Carolina é importante oferecermos um evento híbrido que mescle o online e o offline ao mesmo tempo. “Entendemos que acima de tudo os eventos precisam ser ‘quentes’, e podemos mesclar participações online e presenciais, enviar convites impressos, e pensar em alternativas para deixar o ambiente de casa mais corporativo”, diz Ana Carolina.

O setor de eventos foi um dos mais atingidos pela crise. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o segmento movimenta cerca de R$ 50 bilhões por ano no Brasil, e com as recomendações de quarentena, os prejuízos já ultrapassam mais de R$ 400 milhões em todo o setor no país.

Diante das normas de restrição que abrange aglomeração por tempo indeterminado, o Grupo MM teve 40% de seus eventos paralisados ou cancelados abruptamente.

Com isso, a empresa prevê uma possível redução nos prejuízos e a continuidade de projetos nacionais e internacionais em locais como Estados Unidos, Caribe e países da Europa, África e América Central, sem contar a possível retenção da sua equipe, que soma mais de 120 funcionários diretos.

De acordo com a AMPRO (Associação de Marketing Promocional), estima-se que o setor de eventos gere aproximadamente 25 milhões de empregos direta ou indiretamente, e uma movimentação econômica de R$ 936 bilhões, representando quase 13% do PIB.