Notícias

Fotopinturas do Mestre Júlio Santos serão expostas em Belo Horizonte

Mostra Dez limites da Memória, que acontecerá de 7 de março a 3 de maio em BH, reúne 45  obras de Cyro Almeida e Mestre Júlio Santos,um dos últimos expoentes vivos da técnica da fotopintura no Brasil

Em 2011, o fotógrafo mineiro Cyro Almeida conheceu mestre Júlio Santos, residente em Fortaleza e um dos últimos expoentes vivos da foto pintura, técnica muito difundida no interior do país ao longo do século passado, em que o artista dava cor e retoques a retratos feitos originariamente em preto e branco. Desse encontro, que se transformou em amizade e parceria,resultou a ideia de reunirem suas linguagens para criarem obras em que o contemporâneo e a tradição se mesclassem. O fruto desse trabalho é a exposição Deslimites da Memória, que vai acontecer entre os dias 7 de março e 3 de maio no Museu Mineiro, de Belo Horizonte. Cyro Almeida explica que as recriações de mestre Júlio foram pintadas com tinta a óleo e pastel sobre fotografias feitas por ele ao longo de 2016 e 2017. “Retratei jovens e adolescentes que performaram para uma câmera analógica de médio formato suas próprias atitudes e expressões faciais em selfies que circulam nas redes sociais”. Como resultado, há uma harmoniosa fusão entre passado e presente, como se as marcações do tempo fossem relegadas a segundo plano. Segundo Ângela Berlinde, curadora da mostra, Cyro Almeida e Mestre Júlio “abrem uma brecha no tempo, ousando apresentar uma obra híbrida,composta de múltiplas poéticas visuais e diálogos interdisciplinares.” Os artistas apresentam a geração Z (nascidos entre meados dos anos 1990 até o início do ano 2010) com seus ousados cabelos coloridos, piercings e delineadores nos olhos, porém retratados com paletós, gravatas, vestidos estampados e outras indumentárias típicas da fotopintura no século XX.“Nesta coleção, sentimos o redimensionar do tempo, o seu ritmo e linguagem tornam-se num híbrido encantado em que o passado convive apar com o futuro. Aqui, a imagem surge abordada sob o ponto de vista da fusão de mundos e como espaço privilegiado de união da realidade e da fantasia”,destaca a curadora. A exposição Deslimites da Memória é realizada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Culturade Belo Horizonte e patrocínio da MGS. 

Fotopintura

Fotopinturas tradicionalmente eram feitas a partir de retratos (muitas vezes deteriorados) enviados por famílias que gostariam de ter sua imagem recriada e dignificada. Dessa matriz gerava-se uma cópia foto gráfica em preto e branco na qual eram apagados os ombros, o cabelo, a roupa e o fundo,permanecendo no papel apenas o rosto. Nessa nova cópia os foto pintores recriavam o retrato com intervenções pictóricas, destacando os olhos,eliminando as rugas, definindo os cabelos e as roupas. A técnica difundiu-se no nordeste do Brasil ao longo do século XX. Cyro Almeida(Araxá-MG, 1984) é artista visual, fotógrafo e mestre em comunicação social.Dedica-se à figuração do território urbano nas periferias de Belém do Pará e seus habitantes, pesquisa com a qual foi contemplado, em 2015, com o XV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia. Em 2014 realizou a mostra individual Dandara, no Palácio das Artes, fruto de sua vivência na ocupação urbana de mesmo nome em Belo Horizonte. Publicou os livros Pequena rota do insuspeitável(2017) e Dandara (2014). Vive em Belo Horizonte. Mestre Júlio Santos(Fortaleza-CE, 1944) dedica-se ao desenvolvimento e divulgação da fotopintura, técnica fundamental na construção da memória visual dos brasileiros,em especial na região nordeste do país. Nos últimos anos seu trabalho tem ganhado destaque em diversas exposições como a individual Interior Profundo,curada por Diógenes Moura na Pinacoteca do Estado de São Paulo (2012) com itinerância no Centro de Fotografía de Montevidéu (2013). A despeito da notoriedade que seu nome vem recebendo das instituições de arte, Mestre Júlio continua atendendo pedidos de fotopinturas vindos das camadas mais populares de todo o Brasil. Em 2010 teve sua obra publicada no livro Júlio Santos – Mestre da Fotopintura (Ed. Tempo d’Imagem) por meio do programa Conexão Artes Visuaisda Funarte e edição de Rosely Nakagawa. Vive em Fortaleza. Ângela Berlinde(Porto, Portugal, 1975) Artista e curadora, tem doutorado em Comunicação Visual e Expressão Plástica pela Universidade do Minho e mestrado em Fotografia Digital, pela Utrecht School of Arts-Holanda. É co-fundadora do Festival Internacional de Fotografia, tendo sido sua diretora artística e curadora. É curadora de projetos culturais e exposições de arte contemporânea em Portugal e no Brasil e publicou obras de Fotografia e Texto sobre a Índia portuguesa e sobre a Fotopintura no nordeste do Brasil. Integra desde 2017 o Conselho de Curadores do Museu da Fotografia de Fortaleza. É conselheira artística para a Fotografia no Estado do Ceará, junto da Secretaria de Estado da Cultura do Ceará desde 2018. Vive entre Portugal e Brasil.

Serviço Imagens: LINK 
Exposição Deslimites da MemóriaFotopinturas de Cyro Almeida e Mestre JúlioSantosData: de 7 de março a 3 de maio

Local: Museu Mineiro

Endereço: Av. João Pinheiro, 342 –Funcionários – Belo Horizonte, MG

Horário de funcionamento:- terças,quartas e sextas: 10h às 19h00
– quintas: 10h às 21h
– sábados e domingos: 12h às 19h

Agendamento de visitas: (31) 3269-1103 Entrada gratuita