Notícias

Ilhas Virgens Britânicas reabrem para o turismo em 1º de dezembro

O governo das Ilhas Virgens Britânicas anuncia a reabertura de suas fronteiras para visitantes estrangeiros a partir de 1º de dezembro de 2020.

O anúncio se alinha ao lançamento da campanha #BVILove, na mensagem de que o arquipélago formado por mais de 60 ilhas está nos preparativos finais para a retomada das operações e serviços turísticos, sob cuidadosos protocolos de segurança e sanitização em suas fronteiras e portos.

O premiê do destinos senhor Andrew A. Fahie, disse estar otimista uma vez que ainda restam dois meses para implementar estas políticas junto ao setor privado e à população até que os turistas voltem a entrar no país.

“Como se trata de um arquipélago, os riscos são altos, uma vez que as contaminações podem se espalhar rapidamente. Por tal razão que reabriremos o nosso território da forma mais segura possível, guiados na ciência e na tecnologia.”

Distanciamento, protocolos, porém as boas-vindas serão sempre humana e calorosa – ao estilo dos virginianos, que faz das Ilhas Virgens Britânicas um destino único e acolhedor #BVILove

Vôos e conexões: desde o Brasil, conexões viáveis no momento são via Panamá (Copa Airlines), com segunda conexão em St Marteen (WinAir) ou República Dominicana (interCaribbean). Estas conexões nāo exigem visto.

Histórico: fronteiras durante a pandemia: dese 2 junho com o levante da pandemia mundial, as Ilhas Virgens Britânicas implantaram duas fases de controle de fronteiras: a Fase 1 deu-se permitindo cidadãos e naturalizados exclusivamente, e em 1º de setembro, permitindo o retorno de residentes com título de trabalho; funcionários públicos; proprietários de casas; militares e marinha; estudantes e acadêmicos; diplomatas e visitantes de negócios. A Fase 3 contempla a reabertura integral em 1º dezembro, 2020.

Sobre as Ilhas Virgens Britânicas: um território ultramarino do Reino Unido, também chamadas de BVIs (British Virgin Islands) são um arquipélago de 60 ilhas e ilhotas, considerado ideal para visitar por meio da navegação – pelas excelentes condições climática e marítima, de águas calmas e bons ventos. Considerado o melhor “island hopping” do Caribe, navegar de ilha em ilha oferecerá sempre uma diversidade de paisagens em uma única de viagem. Os hotéis do destino são também fabulosos e distribuídos em diferentes ilhas. Ainda pouco explorado pelo viajante brasileiro, o destino é indicado para quem deseja escapar do turismo massivo e para famílias (viagens multigeracionais), casais em lua de mel, aventureiros, mergulhadores e turismo de incentivo. Apesar da influência inglesa, a moeda oficial é o Dólar Americano, e a cultura predominante caribenha se nota na música, no sabor da gastronomia e alegria dos virginianos. Não é necessário visto, a não ser que a conexão seja nos EUA ou Puerto Rico.