Agência de Notícias

Morar sozinho: dicas essenciais para quem está saindo da casa dos pais

A mudança é um momento desafiador que pode ser amenizado com a organização correta

Sair da casa dos pais e iniciar uma nova fase morando sozinho pode ser muito desafiador. Se já não bastassem os esforços para encontrar um imóvel, seja para comprar ou alugar, que atenda seus requisitos e caiba no bolso, a rotina de quem está se mudando se transforma e as tarefas a serem realizadas sem auxílio de ninguém se multiplicam.

Mas também há vantagens: a liberdade e privacidade de um ambiente totalmente seu, o grande crescimento pessoal que é adquirir o próprio imóvel e a possibilidade de receber amigos e estar em uma localidade melhor do que a casa dos pais. Além disso, com algumas informações, essa nova experiência pode se tornar mais prazerosa, organizada e tranquila. Confira nossas dicas essenciais para quem está indo morar sozinho.

Saiba que não haverá mordomias

Tenha em mente que esse novo passo te privará de diversas mordomias e que todos os cuidados com a casa e as responsabilidades serão suas – e, nisso, está incluso o trabalho doméstico, como faxina, preparar comida, lavar louça e roupa, além das contas de água, luz, aluguel e mercado. Todas essas obrigações devem caber no dia a dia, assim, pode ser necessário cortar outros gastos mais supérfluos e diminuir momentos de ócio e lazer para dar conta de todas as tarefas, porém é necessário lembrar que nada pode ser exagerado. O descanso e a distração são importantes, e a falta disso pode afetar a saúde.

Compre as coisas com calma

Uma casa ou um apartamento vazio são verdadeiras telas em branco que o novo proprietário pode decorar e organizar com o que quiser e da maneira que bem entender. Porém esse início custa muito caro, assim, para não se endividar e evitar aquisições por impulso, se organize para comprar, mês a mês, os componentes da moradia – dos mais básicos e necessários até os mais supérfluos. Tenha no topo da lista itens como colchão, panelas, pratos e copos.

Pense bem na escolha de mobília e decoração

Um ambiente bonito não precisa ser composto por móveis e decorações caras, o que realmente conta são as escolhas inteligentes. Na hora de comprar, procure por peças que sejam esteticamente mais simples, pois costumam ser também mais baratas. Isso vale para todos os itens – do sofá ao guarda-roupa.

Para que a casa não fique sem graça, já que os móveis não terão muitos detalhes, invista em peças de decoração coloridas e chamativas, que também não precisam custar caro e podem ser feitas por você mesmo. Dessa maneira, a economia vem também do tempo de uso mais estendido da mobília, já que, por ser neutra, não satura o ambiente, podendo tomar uma nova cara apenas com pequenas modificações.

Não se esqueça de adquirir itens essenciais

Há algumas coisas que só descobrimos que são essenciais quando saímos da casa dos pais. São itens que, apesar de necessários, não são utilizados todos os dias. Entre eles estão o kit de primeiros socorros, com curativos, gaze e pomadas, uma caixa simples de ferramentas, para facilitar pequenos concertos e a instalação de móveis e eletrônicos, e um pequeno estoque de pilhas e kit de costura, para colocar de volta botões e fazer ajustes simples.

Seja organizado

Ter uma rotina diária de cuidados com a casa evita o desgaste físico de precisar fazer sempre grandes faxinas. Todos os dias, faça a manutenção simples dos ambientes e guarde as coisas que forem usadas em seus respectivos lugares. A organização também vale para as finanças. Uma agenda na qual você anote as contas a pagar e suas datas de vencimentos, além de outros gastos, pode ser uma importante aliada para que as dívidas não se tornem uma dor de cabeça.