Sem categoria

Museu Cultural Trem de Minas Estrada Real em Movimento

Portugal levou quase dois séculos para incentivar a ocupação do território interior do Brasil Colônia. E o fez, pioneiramente, no final do século XVII, por Minas Gerais, pelos bandeirantes vindos de São Paulo, na corrida em busca do ouro e pedras preciosas, começando pela expedição de Fernão Dias, em 1674, que percorreu o chamado Caminho Velho. Posteriormente, com a veloz ocupação do novo território, constrói-se o Caminho Novo, encurtando a viagem do Rio de Janeiro à região das minas de ouro, onde surgiram Vila Rica, Mariana e Sabará. Esses caminhos, chamados estradas reais, estão na origem de Minas Gerais e do Ciclo do Ouro, um dos principais capítulos da história do Brasil, e que nos deixou como legado um acervo artístico e cultural excepcional, que deve ser preservado e usado como produto e destino turístico. A descoberta das riquezas em Minas Gerais foi determinante para a construção deste Gigante chamado Brasil, hoje 5º maior país do mundo em extensão territorial. Neste contexto, o Projeto Trem de Minas em parceria com o Instituto JK Relações Internacionais, Difusão e Fomento, em homenagem aos 300 anos da fundação da capitania de Minas Gerais, que ocorrerá no mês de setembro de 2020, bem como o aniversário de 200 anos da fundação da Província de Minas Gerais, que ocorrerá no mês de fevereiro de 2021, a qual veio a se tornar o atual estado de Minas Gerais com a Proclamação da República, propõem a construção do Museu Cultural Trem de Minas Estrada Real em Movimento. Este projeto estabelecerá um marco histórico e permanente na forma de contar a história, a pluralidade gastronômica e o turismo dos percursos da estrada real. Através deste museu, propõe-se um aprendizado do conhecimento de importante capítulo da história do Brasil, a formação do estado de Minas Gerais e o surgimento de Belo Horizonte, a capital mineira. O presente projeto visa a construção de uma maquete em miniaturas, que irá representar a malha ferroviária Trem de Minas Estrada Real. Esta maquete artesanal, de aproximadamente 3000 m², utilizará tecnologia multimídia na qual se reproduzirá em toda a sua estrutura os movimentos retratando todo o percurso da malha ferroviária estrada real. Com cenário realista, serão confeccionadas as estações ferroviárias e seus vilarejos, incluindo os atrativos turísticos, o relevo da região, natureza com árvores e vegetação típicas. Será um cenário em movimento. Serão reproduzidos sons, efeitos especiais e haverá interatividade do público com as locomotivas, movidas por controle remoto. O projeto, utilizando-se de tecnologia multimídia, se encarregará de unir a realidade virtual, acoplada ao trabalho do renomado artista plástico, Adelson Espíndola Carneiro, Diretor de Arte do Instituto JK Relações Internacionais, Difusão e Fomento, e se posicionará como candidato a ser catalogado no Guinness Book como maior museu em miniatura do mundo. O museu Museu Cultural Trem de Minas Estrada Real em Movimento será dividido em 4 partes: Parte 1 – Caminho Sabarabuçu, Parte 2 – Caminho dos Diamantes, Parte 3 – Caminho velho até Paraty, Parte 4 – Caminho Novo até o Rio de Janeiro. Propõe-se como sede do museu a cidade de Belo Horizonte, a capital mineira. O projeto visa atingir múltiplos objetivos em benefício da cidade de Belo Horizonte, do estado de Minas Gerais e do Brasil, através da implantação deste museu permanente. Um projeto que irá valorizar este monumento nacional, com divulgação internacional. Serão promovidas ações que visem o resgate da memória da estrada real, atribuindo-lhe lugar de destaque, que lhe cabe historicamente. Pela Estrada Real e seus caminhos pioneiros e desbravadores do território desconhecido e inóspito, já nos anos do Século XVIII, surgiram as cidades históricas que abrigam acervos artísticos e arquitetônicos integrantes do barroco colonial mineiro. E que têm reconhecimento internacional por sua exemplaridade e singularidade, incluídos pela Unesco na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade. Nos seus 1.440 km, passando por 160 cidades e distritos, incluindo o Caminho dos Diamantes, a Estrada Real sintetiza a diversidade cultural e natural de Minas Gerais, em contato com os territórios que marcaram os primórdios de Minas Gerais e da ocupação inicial do interior do Brasil Colônia. Com o título de Monumento Nacional, a Estrada Real passará a integrar o patrimônio cultural brasileiro. Em um país como o Brasil, tradicionalmente avesso à preservação da sua história e cultura, é natural que a memória dos eventos históricos se perca na poeira do tempo. Os 300 anos de Minas Gerais merecem comemoração digna, compatível com a tricentenária história mineira, suas lutas cívicas e libertárias, econômicas e sociais. Lutas que prosseguem no Império e na República e se estendem aos nossos dias. Neste propósito, o Projeto Trem de Minas e o Instituto JK Relações Internacionais Difusão e Fomento, convidam a sociedade mineira a apoiar esta iniciativa, pois este grandioso projeto para virar uma realidade irá precisar da colaboração de diversas pessoas, instituições públicas e privadas. Irá posicionar a cidade de Belo Horizonte e o estado de Minas Gerais no local de destaque que historicamente merecem estar posicionados.

www.tremdeminas.org

facebook.com/gilsontremdeminas