Notícias

Não vamos permitir aumento de impostos, garante Agostinho Patrus

Presidente da ALMG diz que “não é momento de onerar o cidadão”, após sindicato do setor de petróleo alertar para possibilidade de alta no preço dos combustíveis

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus, garantiu, nesta quarta-feira (24/2), que o Parlamento Estadual não colocará em pauta nenhum projeto relativo a aumento de impostos no Estado. Ele se pronunciou por meio de suas redes sociais tão logo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) ter manifestado preocupação quanto à possibilidade de revisões de tributos estaduais.

“Estou ouvindo conversas sobre o aumento do ICMS dos combustíveis. Não colocarei para votar. Não é hora para isso, fiquem tranquilos”, escreveu Agostinho Patrus, em seu perfil no Twitter. Segundo o Minaspetro, um reajuste no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que incide nos combustíveis, poderia “gerar desemprego em razão do aumento de preços”. “Não seria justo aumentar impostos e corroer o poder de compra da população”, diz o Minaspetro em nota publicada no site da entidade.

Agostinho Patrus lembrou que qualquer alteração nos preços dos combustíveis poderia causar impacto direto na vida de todas as pessoas. “No caso das empresas de transporte, por exemplo, isso poderia afetar o escoamento da produção. Cerca de 80% de tudo que é comercializado em nosso Estado se utiliza da malha rodoviária, portanto, um aumento no valor dos combustíveis trara risco de alta nos preços do arroz, do feijão, do leite, enfim, dos alimentos. E isso nós não vamos permitir”, afirmou.

“É hora de responsabilidade. Não é momento de penalizar mais uma vez a população mineira, sobretudo, em momento de crise financeira e em meio à pandemia. O Parlamento estadual está, como sempre esteve, aberto a discutir os assuntos de interesse dos cidadãos, mas, tenham certeza: neste momento nós não colocaremos em votação na ALMG nenhuma pauta sobre temas que venham a aumentar impostos em Minas Gerais”, concluiu o presidente da Assembleia Legislativa.