Notícias

Nota oficial da ACMinas sobre o estágio atual da pandemia

Em reunião no dia de ontem com o Governador Romeu Zema, que contou com a presença de 16 entidades, foi debatido o enfrentamento ao Covid-19, o momento crítico, onde muitas vidas e empregos estão sob risco, e reafirmada a disposição do governo para o diálogo com todas as entidades representativas, visando alcançar, juntos, soluções de equilíbrio para a saúde e a economia. A ACMinas pontua:

⦁ Dos empresários nada mais pode ser exigido. Seus estabelecimentos estão fechados e encontram-se esvaziados de seus capitais. Trata-se da única categoria que, substantivamente, tem dado contribuição com enorme e irremediável sacrifício.

⦁ É preciso cobrar das autoridades nacionais comportamento único e uniforme e exemplo nas condutas, para conduzir a sociedade com segurança e firmeza nesse momento de crise. As ações construtivas, de várias dimensões, carecem da participação dos indivíduos, das empresas e dos agentes públicos, para as quais o empresariado renova a disposição de delas participar de modo integrado e propositivo.

O presidente José Anchieta

⦁ A ciência fez e continua a fazer parte que lhe cabe. Para o empresariado é fundamental participar da ampliação e dos esforços para acelerar o programa de vacinação, a fim de garantir a saúde coletiva e a retomada da economia. Vacinas, vacinas, vacinas! Ninguém tem o direito de ter outro compromisso que não o de vencer o vírus.

Não chegamos agora. O chamamento a um Pacto Nacional foi proposto pela ACMinas no limiar dessa crise, em 07 de abril de 2020, em carta ao Senhor Presidente da República, da qual destacamos: “a solidariedade de toda a comunidade empresarial com as autoridades na proteção da vida das pessoas; a preservação das empresas e dos empregos; a contribuição solidária dos Poderes para redução de despesas.”

Na manhã de hoje as autoridades federais, em Brasília, após reunião com a Presidência da República, em conjunto acenaram para o Povo Brasileiro com mudança de comportamento consubstanciada nas palavras-chave “redirecionamento”, “harmonia”, “coordenação”, “pacto”. Embora com atraso, é um bom recomeço.

Não houvesse outros motivos, temos razão para acreditar que, de fato, se chegará ao Pacto Nacional para reconstrução do Brasil, começando por debelar o Covid-19. Isto é urgente!

Belo Horizonte, 24 de março de 2021
José Anchieta