Notícias

Observatório do Turismo disponibiliza 12º relatório “Panoramas e Tendências”

Documento destaca perspectivas e principais indicadores de monitoramento do setor

Está disponível, no site do Observatório do Turismo de Minas Gerais, a 12ª edição do relatório Panoramas e Tendências para o Turismo em Minas Gerais Pós Covid-19, que mostra, além dos principais indicadores de acompanhamento, as tendências do turismo e o desempenho do e-commerce do setor no Brasil.

O relatório apresenta as tendências mundiais apontadas pelo guia anual The World in 2021, da revista The Economist, como o fortalecimento do turismo de entretenimento; a busca por experiências autênticas, acompanhadas de muita tecnologia; enfraquecimento do turismo de negócios e crescimento dos e-commerces.

Sobre o e-commerce no Brasil, o Panoramas e Tendências indica que a modalidade de compra já é uma realidade no cotidiano dos brasileiros e que, em março de 2021, o comércio eletrônico registrou 1,66 bilhão de acessos, número que representa aumento de 40% em relação ao mesmo mês de 2020. No entanto, para o e-commerce do setor de turismo, o relatório aponta que não houve plena recuperação: queda de 8,79% se comparados os meses de março de 2021 e março de 2020.

Brasil Visto de Cima

A 12ª edição do relatório “Panoramas e Tendências” traz também a boa repercussão da temporada exclusiva sobre Minas Gerais do programa Brasil Visto de Cima, tanto nas redes sociais da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) quanto no www.minasgerais.com.br. O portal teve recorde de acessos em seus conteúdos, com aumento de 30% de cliques, com destaque para os destinos apresentados no programa e para os blogs Gosto de Minas e Daqui de Minas.

Principais Indicadores de Acompanhamento do setor

A taxa de ocupação hoteleira em Belo Horizonte, em março de 2021, foi de 27,8%, de acordo com o relatório e com dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Minas Gerais (ABIH/MG). Já com relação ao mercado de trabalho, considerando o mesmo mês, o número de demissões foi maior do que o de admissões, com 2.130 postos de trabalho a menos. A estimativa é de 354.019 vagas de emprego formal do turismo em Minas Gerais em março deste ano. Os dados foram retirados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED).

Em um ano de pandemia, de março de 2020 a março de 2021, como mostra o “Panoramas e Tendências” e análise da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a estimativa é de que a perda no faturamento no turismo em Minas Gerais seja da ordem de R$ 25 bilhões.

Confira as versões COMPLETA e RESUMIDA do Panoramas e Tendências para o Turismo em Minas Gerais pós Covid-19.

Observatório do Turismo

O Observatório do Turismo de Minas Gerais é uma instância de pesquisa regulamentada pela Lei nº 22.765, de 20/12/2017, e pelo Decreto nº 47.526, de 06/11/2018, que tem como objetivo o monitoramento em rede da atividade turística no estado, o incentivo à inovação, à inteligência de mercado e o fomento à pesquisa acadêmica em turismo. Sua coordenação fica a cargo da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult).

Pelo Observatório já foram publicados diversos estudos, pesquisas, boletins e artigos acadêmicos e outros conteúdos. Além dos relatórios “Panoramas e Tendências para o Turismo em Minas Gerais pós Covid-19”, também está disponível o painel interativo de monitoramento e uma série de documentos orientadores e boletins, material elaborado pela Secult também com o objetivo de contribuir para o enfrentamento da crise pela cadeia turística, levando em consideração os cenários antes, durante e após a pandemia.