Notícias

Pesquisa revela que 52% dos brasileiros engordaram na quarentena

Estudo realizado pelo Instituto Ipsos aponta que quarentena colaborou com aumento de peso em 30 países

(Crédito da foto: Divulgação)

O isolamento social foi adotado por uma boa causa, mas também trouxe algumas consequências nas vidas de muitas pessoas. Ficar em casa o tempo todo estimula uma rotina mais sedentária, com pouca ou nenhuma atividade física, e isso está refletindo na forma física de mais da metade dos brasileiros. Um estudo realizado pelo Instituto Ipsos aponta que 52% da população engordou durante a quarentena, uma das maiores médias dentre os 30 países apurados.

A pesquisa foi realizada entre novembro de 2020 e janeiro deste ano, entrevistando 22 mil pessoas com idades que variam entre 16 e 74 anos. O aumento de peso global teve uma média de 6,1 kg, enquanto os brasileiros ficaram na casa dos 6,5 kg. O levantamento mostra que 31% dos entrevistados ganharam peso ao longo dos meses de isolamento social.

Existem muitos fatores que contribuem com esse aumento de peso nas circunstâncias atuais. Além da pessoa não procurar fazer o mínimo de exercícios dentro de casa, a ansiedade e o estresse consequentes destes tempos de pandemia também levam muitos a comer mais que o normal. Recorrer à comida é uma reação natural de muitas pessoas que sofrem de problemas emocionais, então o excesso de comida e a falta de atividades físicas são os principais causadores dessas estatísticas.

O problema do isolamento consegue ir além, já que a pessoa não deixa somente de praticar exercícios, mas também se movimenta muito menos no geral. A tendência é passar praticamente o dia todo sentado, seja trabalhando ou fazendo qualquer outra coisa, e isso é bastante prejudicial para a saúde.

O sobrepeso está ligado a uma série de doenças e problemas de saúde variados – dentre eles, hipertensão arterial, diabetes, dores nas articulações, além de aumentar o risco de certos tipos de cânceres. Aqueles que ganharam peso neste período também precisam se atentar ao tamanho das suas roupas íntimas, pois usar roupas íntimas apertadas, mesmo as de tecidos especialmente pensados para a respiração do corpo, como as cuecas Zorba, por exemplo, dificulta a transpiração na região genital e aumenta a proliferação de fungos e bactérias.

Hoje em dia, perder peso já não é mais considerada uma forma de aderir a padrões de beleza, mas, sim, uma questão de saúde. Estar acima do peso ideal, sempre levando em consideração o IMC (Índice de Massa Corporal), pode trazer graves consequências a longo prazo, então é importante combater o sedentarismo e nunca deixar de levar uma vida fisicamente ativa, para evitar esses riscos.