Notícias

Portfólio de Boas Práticas Regionais no Turismo 2020 é lançado pela Secult

Publicação apresenta experiências bem sucedidas nos eixos promoção, governança e sustentabilidade.

A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) acaba de lançar o portfólio Boas Práticas Regionais no Turismo 2020. A publicação é um compilado de iniciativas que busca contribuir para fortelecer o desenvolvimento do turismo no estado, no âmbito das Instâncias de Governança Regionais (IGRs).

Com este relatório, que segue os passos do portfólio publicado em 2019, a ideia é reconhecer, incentivar e dar visibilidade às ações das IGRs, que são importantes interlocutoras e articuladoras da política de regionalização do turismo no estado. Além disso, considerando as peculiaridades de cada região, a proposta é que o portfólio sirva de inspiração para que as Instâncias de Governança desenvolvam ações inovadoras e sustentáveis nas atividades turísticas.

O levantamento das ações foi feito por meio de formulário on-line, no qual as 44 IGRs do estado tiveram a oportunidade de inscrever suas ações. Foram inscritas 66 iniciativas, que passaram pelo crivo da equipe de técnicos da Superintendência de Políticas de Turismo da Secult para serem validadas, tendo como eixos Promoção, Governança e Sustentabilidade. Além de passar pela equipe técnica da Secult, a seleção das ações para a composição do portfólio ficou à cargo das Câmaras Temáticas do Conselho Estadual de Turismo, que avaliou as iniciativas com notas de 0 a 10, sendo considerados os quesitos: inovação; benefícios; metodologia; e resultado.

O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, destaca a importância do diálogo e trabalho conjunto entre Secult e entidades e profissionais da Cultura e do Turismo em Minas, para recuperar e fortalecer ambos os setores neste período desafiador de pandemia. “Todas as boas práticas apresentadas neste portfólio são um reflexo da variedade e potência turísticas que Minas Gerais oferece, com consideração às características e especificidades de cada região do estado. É necessário compartilhar boas experiências, que demonstram como o turismo vem sendo exercido com profissionalismo e seriedade, sobretudo pela forma como foi imposta a necessidade de se reinventar e se adequar a novas tendências e exigências”, afirma o secretário. 

Das 66 iniciativas inscritas, 39 foram selecionadas para compor o portfólio, contemplando um total 13 IGRs. As iniciativas se subdividiram em nove categorias, sendo elas: Economia, responsabilidade social e segurança sanitária no contexto pandêmico; Empreendedorismo e captação de investimentos; Gestão descentralizada do turismo; Informação Turística; Infraestrutura turística; Pesquisas e Monitoramento; Promoção e apoio à comercialização; Qualificação profissional dos serviços associados ao turismo; e Valorização das culturas locais e saberes tradicionais. A categoria que contemplou mais iniciativas foi a de Qualificação profissional dos serviços associados ao turismo, com 13 iniciativas. Vale destacar também a categoria Economia, responsabilidade social e segurança sanitária no contexto pandêmico, que teve sete iniciativas selecionadas para a publicação.

Iniciativas

A categoria Economia, responsabilidade social e segurança sanitária no contexto pandêmico é uma novidade nessa edição e se justifica pelo contexto atual, em que todos foram surpreendidos pela pandemia mundial do coronavírus. O turismo foi um dos setores que mais sofreu impactos, uma vez que as viagens, sobretudo as de lazer, foram interrompidas. Nesse sentido, as IGRs desenvolveram ações no intuito de se adaptarem e se adequarem a esse contexto. A categoria contou com sete iniciativas selecionadas e correspondem a sete IGRs, sendo estas: IGR Associação do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes; IGR Agência de Desenvolvimento Regional do Circuito Turístico Veredas do Paraopeba; IGR Associação do Circuito Turístico das Grutas; IGR Associação do Circuito Turístico Lago de Irapé; IGR Associação do Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas; e IGR Associação do Circuito Turístico das Águas. As ações dessa categoria dizem respeito, principalmente, a planos de retomada do setor e cartilhas de boas práticas sanitárias.

A IGR Associação do Circuito Turístico Serras Verdes do Sul de Minas, por exemplo, elaborou um manual de boas práticas para membros do trade turístico. Com o título “Manual de Boas Práticas (Negócios de Alimentação, Meios de Hospedagem, Artesãos, Produtores Rurais, Guias, Agências e Operadores de Atividades)”, a IGR reuniu recomendações e orientações, que devem ser adotadas total ou parcialmente, respeitando os decretos e diretrizes municipais, e de acordo com cada tipo de estabelecimento.

Já a IGR Associação do Circuito Turístico Lago de Irapé lançou o “Plano de Retomada do Turismo no Circuito Turístico Lago de Irapé”, que tem como objetivo minimizar os impactos da pandemia e preparar os setores para um retorno gradual às atividades nos municípios.  O Plano envolve três fases, sendo elas: Fase de Preparação, apresentação do PRTur e das ações que serão desenvolvidas; Fase de Execução, realização de curso presencial para capacitação de prestadores de serviço, meios de hospedagem, estabelecimentos comerciais e proprietários em área de atrativos. E, por último, a fase de Fiscalização, que consiste na realização de ações periódicas para se certificar que as atividades e operações estejam seguindo as orientações presentes no PSP (Protocolo de Segurança e Prevenção a Covid-19).

A categoria Empreendedorismo e captação de investimentos contou com uma iniciativa da IGR Associação do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes. A ação “Desenvolvimento do Turismo de Base Local – São Tiago/MG” é resultante da parceria entre a IGR e a Prefeitura Municipal de São Tiago. O projeto é constituído por várias ações e, após a primeira fase de levantamento e algumas reuniões técnicas, definiu-se que a modalidade a ser desenvolvida em São Tiago seria o Turismo de Experiência, focado na oferta de experiências gastronômicas, sendo este seu principal atrativo, aliadas a outras atividades de experiência ligadas às demais tradições locais, como a religiosidade e as atividades no meio rural.

Acesse aqui o portfólio Boas Práticas Regionais no Turismo 2020