Notícias

Santuário do Caraça ajuda MG a figurar como uma das regiões mais acolhedoras do mundo

Estado mineiro foi eleito como uma das 10 regiões mais hospitaleiras pela Traveller Review Awards 2021

Minas Gerais se destaca por suas belezas naturais, riqueza cultural, gastronomia e, principalmente pela hospitalidade típica do povo mineiro. Prova disso, foi que, recentemente, o estado está no ranking das 10 regiões mais acolhedoras do mundo, através da premiação Traveller Review Awards 2021, da Booking.com, que homenageia os parceiros de acomodações e transporte que oferecem os melhores serviços em hospitalidade segundo os clientes da plataforma. Mas claro que essa vitória não se deu por acaso, já que entre as maravilhas do estado, alguns pontos se destacam, como o Santuário do Caraça (Estrada do Caraça, Km 9 – entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara), que também foi reconhecido com o selo Travellers’ Choice 2020, do Tripadvisor, por receber bem os turistas.

Para Márcio Mol, gerente geral do Complexo Santuário do Caraça, esse reconhecimento de Minas Gerais como um local acolhedor, mostra que o Caraça está bem alinhado à unidade da federação a qual pertence. “Minas Gerais sempre teve esse carinho do público por ser um estado onde todos são sempre muito bem vindos. Ver o estado figurando no ranking que tem diversos destinos internacionais, como, Taitung Country (Taiwan), Prešovský kraj (Eslováquia), Oberösterreich (Austria), Tasmânia (Austrália), Canterbury (Nova Zelândia), Nova Scotia (Canadá), Chubut (Argentina), O’Higgins (Chile), Iowa (Estados Unidos) e, na décima posição mundial, nosso estado mineiro, é demais. Essa característica acolhedora é algo que os turistas reconhecem sempre, já que no Caraça, por exemplo, sempre temos um retorno muito bom dos visitantes e excelentes avaliações nas redes sociais e sites de reservas. Recebemos anualmente vários turistas de várias partes do mundo e um dos pontos que mais primamos, está no bom atendimento em claro, na hospitalidade, que se tornou uma característica marcante do nosso trabalho”, diz

.O gerente destaca que o acolhimento dos turistas vai além das boas acomodações e da gastronomia do local. Ele lembra que as próprias atrações que o complexo oferece são fontes de experiências inesquecíveis. “O Santuário do Caraça alia a tranquilidade ao refrescante contato com a natureza e uma imersão cultural e histórica. Através das matas é possível fazer trilhas em meio à natureza e depois disso, se refrescar nas águas energizantes das piscinas naturais e quedas d’água. Temos ainda o nosso frequente e ilustre visitante, lobo-guará, que é famoso em todo o mundo, além do museu e biblioteca, que oferecem uma oportunidade para que o visitante faça um mergulho na história”, ressalta.

Visitas ilustres

A tradição de aguardar a visita do lobo todos os dias à noite começou no Caraça em maio de 1982, quando algumas lixeiras começaram a aparecer derrubadas e reviradas. Num primeiro momento pensou-se que isto poderia ser causado por cachorros. Começou-se a observar e se descobriu que o grande cachorro que revirava as lixeiras do Santuário era na verdade o Chrysocyon brachyurus, que quer dizer “animal dourado de cauda curta”. É chamado Guará porque em tupi-guarani, na língua dos indígenas, guará significa “vermelho”.

Desde então, começaram a colocar bandejas de carne nos dois portões da frente da casa e aos poucos os lobos se aproximaram da escada da igreja. Hoje, a bandeja é colocada no adro da igreja, onde têm ido comer, além do lobo-guará, cachorros-do-mato e uma anta.

A prática de alimentar esses animais ali na Casa só persiste até os dias atuais porque o seu hábito de caça não foi comprometido. Por este motivo o lobo-guará não tem hora de aparecer. O tempo de espera da aparição do animal é conhecido como “hora do lobo”, a partir das 18h30. Enquanto o lobo não vem, o Caraça proporciona aos hóspedes um tempo de informação e educação ambiental.

Além do famoso lobo-guará, uma anta eventualmente também surpreende os visitantes do local. Além deles, o visitante pode ainda cruzar com outras 76 espécies de mamíferos que habitam no Santuário do Caraça.

Gastronomia

A gastronomia do Caraça é um ponto que merece atenção especial dos visitantes. Além da experiência de comer no refeitório histórico, com toda a simplicidade e variedade de sabores da comida mineira, há uma adega no local onde dá para ver o processo de produção do vinho tinto, do hidromel e dos fermentados de laranja, jabuticaba e morango. Há também a padaria, que fabrica pães, bolos e biscoitos, e a doçaria, para doces, geleias e compotas. O queijo minas artesanal, cujo processo de fabricação existe há mais de 200 anos, é uma das delícias mais procuradas no Santuário e é matéria prima de vários pratos da região em concursos e festivais gastronômicos.

Fonte de conhecimento

O complexo é tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e Estadual. Foi escolhido como uma das Sete Maravilhas da Estrada Real. Conta com um amplo Conjunto Arquitetônico onde estão a primeira igreja de estilo neogótico do Brasil, o prédio do antigo Colégio (hoje Museu e Biblioteca), o hotel com 57 apartamentos e quartos, com capacidade para até 230 pessoas, e a Fazenda do Engenho, com 26 apartamentos.

O local possui enorme diversidade de fauna e flora, com raridades de animais e plantas no meio ambiente. Na ampla diversidade de sua fauna, há 386 espécies de aves, 42 espécies de répteis, 12 espécies de peixes e 76 espécies de mamíferos.

A Reserva Particular do Patrimônio Natural do Santuário do Caraça faz parte de duas importantes reservas ecológicas, as Reservas da Biosfera da Serra do Espinhaço Sul e a da Mata Atlântica, onde há diversas espécies de flora e fauna, algumas encontradas somente no Complexo do Santuário do Caraça, que fica na transição entre Mata Atlântica e Cerrado, onde também há campos rupestres. Em suas serras há nascentes, ribeirões e lagos que possuem águas de coloração escura, que carreiam material orgânico em suspensão.

Seu solo é rico em minérios, explorados nos séculos anteriores, e com grande concentração de quartzito ou rocha metamórfica. Desde 2011, passou a ser preservado contra exploração comercial. O clima tem baixas temperaturas e elevada umidade do ar, comuns em ambientes de mata.

O território do Complexo do Caraça integra a Área de Proteção Ambiental ao Sul da Região Metropolitana de BH, onde começam duas grandes bacias hidrográficas, a do rio São Francisco e a do rio Doce, que abastecem aproximadamente 70% da população de Belo Horizonte e 50% da população de sua região metropolitana.

Biblioteca

A Biblioteca hoje está instalada no prédio onde funcionava o célebre Colégio, que hoje abriga também o Museu, o Arquivo e um Centro de Convenções.

Museu

O museu, montado a partir de mobiliário e artefatos diversos de uso diário, pertencentes ao próprio Caraça e com algumas peças remanescentes de séculos passados, constitui um interessante lugar de visitação, diariamente procurado pelos hóspedes e visitantes, através de percursos guiados pelos monitores, com taxa de R$ 5 por pessoa.

Igreja Neogótica

O Santuário do Caraça é a primeira igreja neogótica do Brasil, construída sem mão-de-obra escrava e toda com material regional: pedra-sabão (retirada de perto da Cascatona), mármore (das proximidades de Mariana e Itabirito, Gandarela) e quartzito (da região do Caraça e vizinhanças), unidas com produtos de base de cal, pó de pedra e óleo.

Águas refrescantes

Cascatinha

A Cascatinha é formada por quatro quedas d’água e quatro piscinas naturais, das quais duas são permitidas para banho. Localiza-se a 2 km do Santuário, por uma trilha de fácil acesso. Medindo 40m, suas águas puras nascem acima das quedas, de onde vêm saltando pela encosta e pelas pedras.

De acordo com Márcio Mol, gerente geral do Santuário do Caraça, a Cascatinha é um dos locais procurados. “Isso se deve pela curta distância, pela facilidade de acesso e, claro, pela beleza de sua paisagem e pela atração de suas águas. Mesmo nos dias mais frios, turistas e visitantes não conseguem resistir aos encantos da Cascatinha e, esquecendo o frio, a névoa ou a chuva, mergulham em suas águas e refrescam-se em suas piscinas. Neste calor que estamos passando, se torna uma excelente pedida para quem busca se refrescar”, comenta.

Cascatona

Para quem animar andar um pouco mais, há a opção da Cascatona. Uma trilha de 6 km por uma área de Mata Atlântica leva o visitante até o local. É consideravelmente fechada pelas árvores e com caminhos nem sempre muito fáceis de serem percorridos, especialmente no tempo das chuvas. A trilha várias vezes se fecha e, nas partes mais acidentadas e íngremes, exige um esforço maior.

Chegando até à Cascatona, o visitante pode ir até o Oratório, de onde se tem bela vista panorâmica, e pode descer até os poços da cachoeira, para um banho ou um mergulho em suas águas geladas. Para tanto, precisa descer pelas pedras, por um caminho muito escarpado e íngreme, no local está sendo construída uma escada, que facilitará muito o acesso do visitante.

Márcio Mol explica que é necessário cuidado para ir até o local. “O ideal é sair logo de manhã para a Cascatona, e nunca sozinho, mas com pelo menos mais um companheiro, por garantia de segurança. Saindo bem de manhã, não há perigo de escurecer durante a caminhada e, com certo esforço e disposição, pode-se voltar ainda para almoçar. Esse passeio é recomendado para dias sem chuva”, destaca.

Bocaína

A Bocaína encontra-se entre o Pico do Inficionado e a Caraça. É um grande desfiladeiro, neste contraforte da Serra do Espinhaço. É a Bocaina que propriamente nomeou o Caraça como tal. Sua trilha, que atravessa um rio, tem uma extensão de 6 km e, além da beleza das montanhas e dos campos por onde se passa, oferece uma série de quedas d’água, piscinas naturais e córregos para o descanso e o lazer. No tempo da seca, a caminhada pode ser feita com certa facilidade, apesar da distância. Já no tempo das chuvas, fica um pouco prejudicada, além de às vezes não ser possível atravessar o rio.

Tanque Grande

A trilha até o Tanque Grande não chega a 2 km e quando se chega lá é possível observar o lago artificial margeado por vegetação, construído para gerar energia elétrica, com cerca 400 metros de comprimento por 100 metros de largura, mas apenas para desfrutar do visual, pois não é permitido nadar no local.

Taboões

Os Taboões estão a 4 km do Centro Histórico do Caraça. Pode-se ir de carro até certa altura da estrada asfaltada. A trilha tem uma bifurcação e ambos os caminhos levam ao local. O da direita leva a uma grande piscina natural. O da esquerda leva a corredeiras formadas por entre o leito rochoso do Ribeirão Caraça. Oferecem oportunidade de descanso e lazer, possibilidade de nadar e se banhar. Inclusive, uma pequena duna de areia fina ajuda a formar pequena praia em uma de suas margens.

Banho do Belchior

O Banho do Belchior é uma corredeira de água, isto é, nem uma cachoeira nem um rio manso. A água cai como que cortando as rochas e fazendo várias piscinas naturais. Situa-se a 2 km do Centro Histórico. O caminho é de fácil acesso, plano e sem desníveis.

Piscina

A Piscina do Caraça está num pequeno descampado, localizado a menos de 2 km do Centro Histórico. É rústica, sem ladrilhos, e com água corrente. Um local muito apropriado para o descanso, o lazer e a confraternização. Vai-se até lá pela estrada asfaltada, e é um dos poucos lugares do Caraça onde se pode ir de carro.

Prainha

A Prainha é, como o próprio nome já diz, uma prainha, em que o Ribeirão Caraça passa tranquilamente, com suas margens embelezadas por finíssima areia. Caminho de fácil acesso, recomendado para todas as estações. Muito apropriado para crianças, desde que acompanhadas por seus responsáveis, pois as águas são muito rasas e tranquilas, além de ser muito próximo do Centro Histórico, não chegando a 1 km.

Banho do Imperador

O Banho do Imperador era o local, onde, no tempo do Colégio, os meninos tomavam seu banho semanal. Quando da visita de Sua Majestade Dom Pedro II, o próprio Imperador, segundo o relato que fez em seu diário, ali tomou banho, deixando sua imperial assinatura no nome que até hoje este bosque cheio de encantos, cortado pelo Ribeirão Caraça, carrega.

É um lugar muito procurado para lazer e confraternizações, por sua beleza, pelo clima agradável e ameno, devido às sombras das árvores, e pela facilidade de se nadar. Fica a poucos metros do Centro Histórico, bastando apenas descer pela estrada asfaltada

Santuário do Caraça

Local: Estrada do Caraça, Km 9 – Entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara – CEP 35960-000
Fácil acesso pelas rodovias BR 381 e MG 436, além do cômodo acesso por trem (Estação Dois Irmãos – Barão de Cocai
Instagram: @santuariodocaraca
Facebook: https://www.facebook.com/complexosantuariocaraca/
Reservas: centraldereservas@santuariodocaraca.com.br
Taxa de entrada: a partir de R$ 14,00 (em dias de semana)
Site com opções de hospedagens: https://www.santuariodocaraca.com.br