Notícias

Um mundo de oportunidades e reflexões

Transcrito do Facebook de João Carlos Amaral

Por Marcos Brandão*

Estamos enfrentando, com a Covid-19, um desafio complexo, incômodo e, seguramente, transformador.

Pergunto, qual é o sentido desta experiência que, até ontem, poderíamos considerar como muito remota, ou até mesmo inimaginável?

Afinal, as expectativas de crescimento da economia e a possibilidade de desfrutarmos de um mundo melhor, pareciam estar batendo às nossas portas.

A impressão era a de que tudo estava em perfeito compasso, sob controle e evoluindo – como precisava e deveria ser.

As bolsas de valores superavam índices, metas eram atingidas e centenas de milhares de organizações ao redor do mundo tinham planos de investimentos e de projetos inovadores – promissores.

Era muito prazeroso desenvolver nossos projetos, enquanto milhares de profissionais cruzavam continentes para apresentar seus respectivos projetos ao mundo e defende-los com a energia plena, característica do executivo contemporâneo.

É esta energia ampla que precisamos preservar neste momento, que é de muita dificuldade, mas que traz a reboque, oportunidades de aprendizado e de evolução.

Mais do que nunca, precisamos estar juntos, refletir, buscar alternativas e, com maturidade, assumir decisões que priorizem o bem comum.

Retomada
É fundamental que, o mais rápido possível, retomemos a nossa dinâmica econômica. Até porque, o “on hold” de hoje é temporário, vai passar.

Especialistas estão afirmando que o mundo sofrerá sério impacto, sem precedentes na história das crises econômicas.

Respeitamos opiniões, sem dúvida, mas entendamos também que não devemos tomar essa previsão aflitiva como uma verdade absoluta.

Consideremos que se trata, sim, de um grande obstáculo, mas a ser superado com muito trabalho e determinação, como sempre o fizemos em nossas vidas.

Hora do virtual
O momento é de virada, é de transformação. É hora de reaprendermos e de investirmos em novas formas de relacionamento, sobretudo no modo virtual, a nova palavra de ordem.

Redes Sociais
Temos aprendido que é possível viver de maneira mais simples e que a conectividade proposta pelas redes sociais, também salva vidas, ordena o trânsito caótico e nos aproxima das nossas famílias.

Criatividade
É hora de nos reinventarmos e sermos ainda melhores. Até mesmo porque, com a Covid-19, muitos tabus estão sendo quebrados em todo o planeta.

Por exemplo: a redução da poluição, ocorrida desde o isolamento social e o home office, possibilitou que muitas vidas fossem salvas em todo mundo.

Portanto, não se trata só de poesia, quando se diz que já é possível ver estrelas à noite novamente.

Se adaptar
Quando feita uma analogia com a história das crises ao longo do tempo, seja econômica ou de saúde pública, o que se vê é a capacidade de adaptação do ser humano.

E vale notar ainda que, nos processos de decisões, a assertividade foi essencial para a humanidade renascer mais forte, mais determinada.

Nossa crença em que unidos e coesos seremos mais fortes e melhores, está sendo colocada à prova.

Mas é certo também que, respeitando as nossas crenças, sendo disciplinados e aceitando que mudanças de hábitos são necessárias, sairemos melhores e mais fortes.

Sairemos profissionalmente melhores, assim como as nossas organizações e o Brasil sairão rejuvenescidos e fortalecidos em suas relações com a sociedade, se aprendermos que precisamos descomplicar, nos tornar mais simples e reduzir decisões pautadas apenas em imagens aparentes.

Consenso coletivo
A saída inteligente para superar esta crise que assola toda a sociedade e que atinge muito diretamente as nossas atividades, muito passa pelo consenso coletivo e pela simplificação dos processos de tomada de decisão.

Inovar
Outro ponto a destacar é que precisamos inovar, inclusive, cabe aqui citar um dos paradoxos corporativos mais relevantes para os tempos atuais “a armadilha do sucesso é o próprio sucesso”.

Pequenos projetos
Por isso, precisamos melhorar a nossa capacidade de reconhecer os pequenos projetos, que quando somados, transformam-se em grandes mudanças e fortalecem culturas organizacionais que projetam o futuro, rompem barreiras e o status quo, neste caso, com o intuito de promover um cenário de reconstrução de tudo aquilo que eventualmente podemos ter perdido.

Finalmente, proponho alguns pontos para reflexões a partir do turbilhão de informações e dos debates que temos acompanhado nos meios de comunicação:

1. Quantas oportunidades de repensar o nosso modo de vida já aprendemos?

2. Quantas oportunidades de simplificarmos as nossas organizações já aprendemos?

3. Será que já aprendemos que a soma de um conjunto de simples projetos e boas atitudes, somados, valem mais que grandes discursos ou uma boa imagem?

4. Quantos de nós tivemos a oportunidade de aprender que existe uma economia secundaria, não formalizada, que transforma as nossas vidas sem percebermos?

5. Quantos de nós tivemos a oportunidade de redescobrir o sentido e a importância das nossas famílias em nossas vidas?

Vamos todos olhar para o futuro que está logo ali, certos de que o construiremos juntos, afinal, vivemos “um mundo de oportunidades e reflexões”.

*Diretor Presidente da BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte.